Banda larga: a realidade brasileira da conexão à web

Medidor de velocidade da internet mostrou resultados insatisfatórios em mais da metade dos casos

Mais da metade (56%) dos consumidores que utilizaram o medidor da PROTESTE para monitorar a taxa recebida da operadora de internet apontou velocidade abaixo da contratada na banda larga fixa. E 65,2% deles se mostraram insatisfeitos com a velocidade entregue. O medidor lançado em parceria com o site Minha Conexão, no início de março, para estimular o internauta a fazer medições ao longo do mês, foi acessado por 128 mil usuários.

 Leia mais: Brasil e o ranking mundial de velocidade da internet

Pelas regras de qualidade da internet fixa estabelecidas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), as empresas são obrigadas a oferecer uma velocidade mínima para a banda larga. A velocidade instantânea entregue deve ser, no mínimo, 40% do contratado em 95% dos acessos. E a velocidade média mensal deve ser no mínimo 80% da velocidade contratada.

Desde o lançamento, 128 mil usuários se cadastraram e 5 mil responderam a pesquisa realizada pela PROTESTE. Dos que afirmaram que a taxa média de velocidade recebida era inferior à contratada, 19% apontaram diferença de 10% a menos. E 14% dos entrevistados detectaram nas medições taxa de velocidade 50% menor do que a contratada.

Veja os principais resultados apontados:

internet banda larga cm

Infográfico | Fernanda Pelinzon

 

 






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS