Smartphone é fator de inclusão digital (e social)

Os smartphones mudaram a nossa vida. Mais do que isso, os celulares multifuncionais redesenharam as sociedades e as funções de instituições antes pétreas

Por meio deles, uma parcela considerável de brasileiros que nunca tiveram conta em banco foram bancarizados de alguma forma. Outros passaram a ter acesso à internet ? muitos deles sem jamais ter passado pelo computador.

Atualmente, 66% dos acessos são feitos pelos smartphones. Em comparação, esse valor era de apenas 40%, o que nos dá uma ideia de o quão rápido os brasileiros estão adotando esse meio ? tanto que a porcentagem de acessos diários subiu para 76% em 2014, contra ?apenas? 56% em 2013, segundo uma pesquisa feita pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

Uso consciente de celular pode gerar economia

Por isso mesmo os smartphones são sucessos de venda entre os eletrônicos. Veja os números e a comparação de vendas no Brasil e em outros países, em levantamento realizado pela IDC:

Propaganda em dispositivos móveis
Com o aumento do uso dos smartphones, a propaganda mobile, obviamente, torna-se uma fatia mais substancial do mercado. Apesar disso, os brasileiros ainda não estão familiarizados e confortáveis com anúncios dessa natureza. A consultoria Forrester afirma que apenas 5% da verba de marketing das grandes marcas vai para a publicidade em dispositivos móveis e, em 2015, a maioria das marcas deve manter aproximadamente o mesmo budget do ano passado.

Mas isso não significa que o mobile marketing é um elefante branco. Em 2014, o Facebook informou que 62% de sua receita de anúncios em mobile no primeiro semestre e os gastos globais de mobile marketing aumentaram 75%, para cerca de 32 bilhões de dólares, isto é um quarto do investimento em anúncios digitais do mundo inteiro.

Programa idealizado por alagoanos traduz sons, textos e até fotos para língua de sinais

Houve também um investimento maciço em real-time bidding (lances em tempo real ou RTB), com investimentos de até 69% a partir do primeiro trimestre. As redes de anúncios passaram adotar RTB ou comprar diretamente de empresas focadas em anúncios móveis: Yahoo adquiriu Flurry, Millennial Media adquiriu tanto Nexage quanto JumpTap e Twitter adquiriu NamoMedia e TapCommerce; além de uma série de outras aquisições e fusões menores, que são muito numerosas para mencionar. Uma tendência que pode crescer – se a conectividade do brasileiro ajudar – são os anúncios por geolocalização, de acordo com o blog PMWeb.

A jornada de consumo no século XXI

 






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS