Conheça a lista de alimentos mais tóxicos para os animais

Alguns alimentos que fazem parte do dia a dia das refeições humanas podem ser extremamente tóxicos para os cães, gatos, furões e hamsters.

Conheça a lista com os mais nocivos:

Chocolate e cafeína
Estes produtos contêm substâncias denominadas metilxantinas, que são encontrados em sementes de cacau, o fruto da planta utilizada para fazer o café e nas nozes de um extrato utilizado em alguns refrigerantes. Quando ingeridas por animais de estimação, metilxantinas podem causar vômitos e diarréia, ânsia, sede e urina excessivos, hiperatividade, ritmo cardíaco anormal, tremores, convulsões e até a morte. O chocolate amargo é mais perigoso do que o chocolate ao leite. O chocolate branco tem o nível mais baixo de metilxantinas, e chocolate quente contém o mais alto.

 

Álcool
Bebidas alcoólocas e alimentos que contêm álcool podem causar vômito, diarreia, diminuição da coordenação, depressão do sistema nervoso central, dificuldade de respiração, tremores, acidez sanguínea anormal, coma e morte.

 

Abacate
As folhas, fruto, semente e casca do abacate contêm persina, que pode causar vômitos e diarreias em cachorros. Pássaros e roedores são especialmente sensíveis à intoxicação por abacate e podem desenvolver congestão, dificuldade respiratória e acúmulo de fluidos cardíacos. Em alguns casos, a ingestão pode ser fatal.

 

Macadâmia
A noz macadâmia é comumente usada em doces e biscoitos. No entanto, pode causar problemas para a saúde canina, como fraqueza, depressão, vômito, tremores e hipertermia. Os sinais costumam aparecer em até 12 horas após a ingestão e podem durar de 12 a 48 horas.

 

Uvas e passas
Apesar de a substância tóxica nas uvas e passas ser desconhecida, essas frutas podem causar falha dos rins. Em animais que já sofrem com problemas de saúde, os sinais podem ser mais acentuados.

 

Massas em processo de fermentação
Massas fermentadas podem aumentar o acúmulo de gases no sistema digestório do seu animal. Isso pode ser doloroso e causar a ruptura do estômago e intestino. O risco diminui após o cozimento da massa e o fermento ter agido totalmente, por isso pequenos pedaços de pão podem ser oferecidos sem risco, embora isso não deva constituir mais de 10% da refeição diária do seu animal.

 

Carnes, ovos e ossos crus ou mal passados
Carne e ovos crus podem conter bactérias como a Salmonella e E. coli, que podem ser nocivos para humanos e animais. Além disso, ovos crus contêm uma enzima camada avidina que diminui a absorção de biotina (uma vitamina do complexo B), que podem levar a problemas de pele e couro. Alimentar seus animais com ossos crus pode parecer natural, mas é muito perigoso para animais domésticos, que podem se engasgar ou ter problemas com alguma lasca de osso que fica alojada no organismo e pode até perfurar o trato digestivo.

 

Xilitol
O xilitol é usado como adoçante em diversos produtos, como chicletes, balas, bolos e creme dental. Ele pode causar uma liberação de insulina na maioria das espécies, que pode levar a uma falha no fígado. O aumento de insulina leva à hipoglicemia, ou seja, nível muito baixo de açúcar no sangue. Os sinais iniciais de intoxicação incluem vômitos, letargia e perda da coordenação.  Os sinais podem progredir a repouso e convulsões. Níveis aumentados das enzimas do fígado e falha do órgão podem acontecer em poucos dias após a ingestão.

 

Cebola, alho e cebolinha
Esses vegetais e ervas podem causar irritação gastrointestinal e podem causar danos aos glóbulos vermelhos do sangue. Apesar de gatos estarem mais suscetíveis, cachorros também não devem consumir esses alimentos. A toxicidade é normalmente diagnosticada através do histórico, sinais clínicos e confirmação microscópica de corpos de Heinz (inclusões dentro das hemácias compostas de hemoglobina desnaturada). Uma dose baixa ocasional, como o que pode ser encontrada em alimentos para animais ou guloseimas, provavelmente não causará um problema, mas é recomendável evitar grandes quantdades.

 

Leite
Animais não processam quantidades significantes de lactase (a enzima que quebra a lactose do leite), por isso leite e outros laticínios causam diarreia e outros problemas digestivos.

 

Sal
Grandes quantidades de sal causam sede e urina em excesso ou intoxicação pelo íon do sódio em animais.  Os sinais de que o seu animal pode ter ingerido muito sal incluem vômito, diarreia, depressão, tremores, temperatura corporal elevada, convulsões e até morte.

* Com informações da American Society for Prevention of Cruelty to Animals

 

Leia mais:

Será que é possível viver (bem) sem dormir?

O inusitado mercado de consumo para animais de estimação

Página mostra alternativas às empresas que testam em animais




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS