Inadimplência sobe 2,83% e tem a maior alta desde 2010

Em abril, indicador de dívidas em atraso cresce 5,02% em relação ao mesmo mês de 2014, segundo SPC

No mês de abril, o indicador de dívidas em atraso apresentou um aumento de 2,83% em relação a março, o maior crescimento para o mês desde 2010, de acordo com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

O levantamento mostrou também que na comparação com o mesmo mês do ano passado o crescimento foi de 5,02%, o que indica aceleração, já que em março a alta foi de 3,46% em relação ao mesmo mês de 2014.

O volume de pessoas endividadas também aumentou em abril. A base de inadimplentes avançou 1,16% em comparação com o mês anterior. Em relação a abril de 2014 a alta foi de 3,77%, muito parecida com os 3,76% verificados em março de 2015 ante o mesmo mês do ano anterior.

Ao todo são 55,3 milhões de devedores, número equivalente a 37,9% da população entre 18 e 95 anos.

Quanto aos segmentos que lideram o ranking de inadimplência, Comunicação aparece em primeiro lugar com aumento de 12,10% do total de dívidas e o Comércio, apresentou recuo de 0,32%. No total de dívidas em atraso, o segmento de Bancos continua liderando com 48,43% de participação. Em seguida, aparece o Comércio, com 20,10%, e Comunicação, com 15,23%.

De acordo com os especialistas do SPC Brasil, o aumento de devedores é resultado da alta da inflação e dos juros, além da piora de indicadores econômicos como emprego e renda.

Leia mais

Inadimplência desacelera em fevereiro

Inadimplência sobe menos no Sudeste

Inadimplência cresce 3,76% em março




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS