Crescer e ser sustentável é impossível ou isso é desculpa?

Sustentabilidade que levou ? e tende a levar ? ao crescimento. Essa é a base do evento realizado pela Unilever Brasil, justificada em números positivos

Conquistados em quatro anos da criação do Plano de Sustentabilidade, os dados foram mensurados entre 2008 e 2014. Confira abaixo.

*Redução de 36% no consumo de água;

*Diminuição de 35% na emissão de gases de efeito estufa;

*Aterro zero nas 15 fábricas e nos centros de distribuição do país;

*Redução de 28,4% do nível de sal presente nos alimentos;

*Aproximadamente 40% da energia que as fábricas consomem são provenientes de fontes renováveis;

*55% das matérias-primas agrícolas são de fontes sustentáveis, certificadas;

*Crescimento de 60% – da empresa.

Presente no país desde 1929, a Unilever Brasil possui 13.700 funcionários, 4.500 fornecedores, 15 fábricas e faturamento de R$17 bilhões no ano de 2014. Não à toa, é a segunda maior filial do mundo, segundo Antonio Calcagnotto, vice-presidente de assuntos corporativos da companhia.

 
Algumas dessas reduções têm braços ?dentro? delas, como as matérias-primas agrícolas. A Unilever consome 3% do óleo de palma do mundo e 100% dele é certificado, assim como 100% dos fornecedores de soja, 93% do açúcar, 73% das frutas, 70% dos vegetais e 99% do papel e papelão utilizados.

Fernando Fernandez, presidente da Unilever Brasil, exemplifica ainda melhor quando utiliza um produto da empresa. ?O Ketchup Hellmann?s possui 100% de seus tomates certificados e a campanha ?Vamos Plantar? possibilitou o canto direto entre consumidor e produtor?.

Já a redução do consumo de água não apenas foi conquistado como é motivo de uma causa maior: o marco regulatório sobre produtos que são sustentáveis. Isso porque a diminuição no uso do recurso aconteceu com o OMO Super Concentrado. ?A escassez de água atinge 50 milhões de pessoas no país, principalmente na região sudeste e 50% da nossa produção depende de água. Por isso precisamos fazer a nossa parte?, enfatizou Fernandez.

A diminuição do consumo de água na Unilever Brasil (36%) é maior do que a média mundial ? 26%.

Plano de Sustentabilidade Unilever
Ele divide-se em três parte subdivididas em outras nove.
*Melhorar a saúde e o bem-estar de mais de um bilhão de pessoas:
-saúde e higiene;
-Melhorar a nutrição;
*Reduzir o impacto ambiental à metade:
-Gases de efeito estufa;
-Água;
-Resíduos;
-Fornecimento sustentável;
*Melhorar as condições de vida de milhões:
-Fornecimento sustentável;
-Melhorar as condições de vida;
-Igualdade no local de trabalho;
-Negócios inclusivos.
?Não é filantropia, é necessidade. Não podemos diminuir o desmatamento, temos que acabar com ele?, comenta Fernandez.

Os convidados e os principais pontos
Durante o evento de apresentação do relatório de sustentabilidade da Unilever, representantes de organizações pró-sustentabilidade estiveram presentes para uma discussão sobre o assunto. Helio Mattar, presidente do Instituto Akatu, Samuel Barreto, gerente Nacional de Água da The Nature Conservancy (TNC), e Édison Carlos, presidente executivo do Trata Brasil.

Samuel cita os riscos relacionados a água: físico, regulatório e de reputação, e comenta que a sociedade é plural. ?Nunca tivemos um momento tão oportuno quanto este para que muitos atores possam dialogar sobre como melhorar. Os recursos naturais não são obstáculo, na verdade o desafio é ficar sem eles. O Excesso de água gera solidariedade a falta gera disputa, conflito?.

Segundo Édison, seis milhões de brasileiros não têm banheiro; 51% da população não tem coleta de esgoto; apenas 39% do esgoto é tratado e 35 milhões de pessoas não têm acesso a água no país. ?Em 2011, 400 mil pessoas foram internada por causa de diarreia. Dessas, 53% eram crianças entre zero e cinco anos?.

De acordo com Hélio, em 1960existiam três bilhões de pessoas no mundo e elas consumiam cinco trilhões de dólares. Em 2010 o número de habitantes do planeta foi a sete bilhões e o consumo aumento para 32 trilhões de dólares. ?A produção de água cresceu 8,3%, mas o consumo aumento em 20%. Precisamos de uma publicidade sustentável e utilizar produtos concentrados?.

Marco regulatório
Governo, indústria, varejo e consumidor unidos para buscar regulações. ?Governo precisa apontar caminhos. O governador precisa articular com prefeitos em foco único, cooperação. O contrário do que aconteceu aqui em São Paulo, que o governador tomou o problema para si em ano de eleição?, comentou Édison.

Fernandez afirma que a marca Brasil é muito forte quando se fala em inclusão social, em outros países. Mas, nos próximos 15 anos precisamos estar associados a sustentabilidade, temos muito para isso acontecer?. Ele diz ainda que é importante uma regularização para que as pessoas tenham informação sobre o que é melhor para seu consumo e para o planeta, para que entendam. E que boas ideias da Unilever ou de outras empresas precisam ser compartilhadas ? como o caso do OMO Super Concentrado ? para que elas tenham o mesmo propósito quanto a mundo: um futuro melhor e possível.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS