Relatório acusa McDonald?s de evasão fiscal

Rede teria evitado pagamento de US$ 1,8 bilhão em taxas entre 2009 e 2013

O relatório Golden Dodges, publicado nesta semana por uma coalização de sindicatos, acusa a rede americana de fast food McDonald?s de ter realizado manobras para evitar o pagamento de cerca de US$ 1,8 bilhão em impostos entre 2009 e 2013 com o uso de estratégias agressivas de evasão fiscal.

No caso da Europa, onde o valor com essas manobras teria chegado a 1 bilhão de euros, o McDonald?s teria reestruturado suas atividades comerciais em 2009, logo após uma mudança na política fiscal de Luxemburgo que permitiu às empresas se beneficiar de uma redução significativa no pagamento de impostos sobre propriedade intelectual. O McDonald?s estabeleceu uma empresa de propriedade intelectual no país, transferiu para lá seu domicílio fiscal europeu e abriu uma filial na Suíça. A McD Europe Franchising, em Luxemburgo, faturou, segundo o estudo um total de 3,7 bilhões de euros em quatro anos, apesar de ter apenas 13 funcionários e ter pago somente 16 milhões de euros em impostos. Na Austrália, o repasse foi feito a uma subsidiária em Singapura, a McD Asia Pacific LLC.

Segundo o relatório Golden Dodges, o McDonald?s conta, em todo o mundo, com 42 filiais e sucursais em paraísos fiscais no mundo, mas 31 delas não aparecem no relatório anual de 2014. Além disso, mantém grandes fundos de caixa nesses locais. A ação, porém, não é exclusiva da rede: o relatório ?War on Want. Everything you need to know about tax? afirma que US$ 32 trilhões estão em paraísos fiscais atualmente.

O Golden Dodges foi elaborado pela Internacional de Serviços Públicos (ISP), União Internacional de Trabalhadores da Alimentação (UITA) e Sindicato Internacional de Empregados de Serviços (SIES), que pedem que governos em todo o mundo investiguem mais profundamente os acordos fiscais da rede de fast food.

Leia mais:
Pirataria e falta de conhecimento sobre propriedade intelectual afeta varejistas

Legislação tenta se adaptar ao e-commerce






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS