Faber-Castell contribui para a proteção do clima

Um estudo científico confirmou que a empresa, mais conhecida por seus lápis de cor, é neutra em emissão de carbono

 
A empresa registrou um saldo positivo em relação à proteção climática. Um estudo científico realizado pela associação de inspeção técnica alemã TÜV Rheinland® confirmou que as florestas da Faber-Castell no Brasil absorvem mais de 900 mil toneladas de carbono. Isso significa que elas retêm consideravelmente mais CO2 do que a empresa emite em todo o mundo.

Ao contrário de outras empresas que apenas compensam suas emissões de carbono através da compra de créditos de carbono, a companhia pode considerar-se completamente carbono neutro e contribui verdadeiramente para a proteção climática.

Leia também: Empresas: o que elas fazem pelo meio ambiente ? Ambev

O projeto florestal em Prata, Minas Gerais, foi iniciado há 30 anos pelo CEO da empresa, Conde Anton-Wolfgang von Faber-Castell. Cerca de 10.000 hectares foram plantados com milhares de mudas. A madeira destas florestas certificada pelo FSC® abastece a maior fábrica de lápis do mundo, em São Carlos, cuja capacidade de produção é mais de dois bilhões de lápis de madeira por ano.

Além de assegurar sua matéria-prima e respeitar o meio ambiente, a Faber-Castell Brasil também desempenha um papel fundamental para a preservação ambiental: cerca de 2.700 hectares de floresta nativa presentes nas suas áreas permanecem intocadas e tornaram-se um habitat de várias espécies animais, algumas delas ameaçadas de extinção. Graças ao reflorestamento constante de árvores colhidas, as florestas são sistemas ecológicos sustentáveis.

Fundada em 1761, a Faber-Castell é uma das mais antigas empresas industriais do mundo e está agora nas mãos da oitava geração da mesma família. A empresa é um dos maiores fabricantes e comerciantes de produtos de alta qualidade para escrever, colorir e desenvolvimento criativo.

Essa nota faz parte do pequeno especial Meio Ambiente – Conheça as ações de algumas companhias e sinta-se no direito de cobrar mais, criticar ou elogiar as práticas que elas têm em prol de um ecossistema equilibrado.

Fonte: Assessoria de Imprensa Faber-Castell Brasil.

 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS