Game ou política: faça a sua escolha

Uma das maiores virtudes do Cannes Lions é justamente a diversidade de temas e o caráter eclético dos conteúdos.

Por: - 4 anos atrás

No mesmo evento e praticamente no mesmo horário podemos ver Julia Louis-Dreyfus, atriz, comediante, celebrizada na saudosa e memorável série “Seinfeld”, nos anos 90, e agora revelando mais e mais recursos de interpretação na divertidíssima e corrosiva série Veep; e Kim Kardashian West, polemista e empreendedora-celebridade de alcance global, um ícone da moda e do reality show “Keeping up with the Kardashians.

Duas mulheres de grande sucesso, que fazem sucesso cada qual exercendo suas virtudes. Julia Louis-Dreyfus, atriz participou de um debate com Richard Plepler, CEO HBO e Christine Amanpour, Correspondente Chefe Internacional da CNN. O debate girou em torno do sucesso da série Veep, onde Julia Louis interpreta Selena Meyer, Vice-Presidente dos EUA, em uma sátira política que se confunde com a própria política.

Segundo Julia Louis, a série enfatiza a humanidade (refletida nas dúvidas e oscilações da personagem, que pretende se manter Vice-Presidente por muito tempo), a banalidade e a obscenidade. Ou seja, são os tema  s que mostram o que é Washington!

Mas as séries refletem hoje muito a realidade e constroem muito bem a personalidade das pessoas. E no caso da política, a ênfase é no show, suplantando a política. O show virou uma parte integrante da conversa. E é levada muito a sério. É um negócio de vender a marca. Por incrível q pareça, políticos gostam disso: do humor, da sátira, das tiradas, porque isso cria conexão com o público.

Plepler, da HBO,  destacou como a empresa acredita em temas complexos para desenvolver suas séries. Esse caráter profundamente humano é que caracteriza o trabalho da HBO. Quem é você e quem está por trás, de verdade. Por isso, as séries da HBO são conhecidas como vanguardistas. Séries que vão além da proposta original e enfrentam temas polêmicos como o aborto, etc.

Se as séries de TV exprimem de maneira mais contundente a realidade e projetam novas dimensões artísticas na indústria do entretenimento, o que dizer de quem empreende usando o próprio nome (e corpo e imagem) como alavancas de um complexo multimídia e transmídia de entretenimento?

Jogue o meu jogo

Esse é o caso da super-celebridade Kim Kardashian West. O painel de que participou com Chris Duffey, Diretor Criativo do SVP Group e Niccolo de Masi, Chairman e CEO da Glu, procurou mostrar a lógica por trás da construção da “marca” KKW.

A ideia central reflete bem nossos tempos de super-exposição e intensidade digital.  Kim Kardashian fez de sua vida, um grande reality show, desdobrado em game, ativação em redes sociais, Twitter, Instagram, reality show, uma grande história transmídia. Com presença ativa em todos as mídias sociais, ela gerou engajamento  e se tornou um ícone da internet. O aspecto central do conceito “Kim” é o game, que permite um mergulho no seu estilo de vida. Os gamers, mulheres em sua maioria, podem prender sobre moda, fashion, turismo e todas as características de um lifestyle diferente. Kim Kardashian: Hollywoood é uma iniciativa conjunta da Glu e de KKW que fez do game uma peça de storytelling única, a explorar efetivamente e intensamente a figura de uma celebridade. Foi o primeiro jogo desenvolvido para a demografia feminina. A partir do jeitão fashion, de lançamento de coleções de moda e como decidir sobre looks, o game mostra como galgar posições, conseguir, subir na carreira.

Kim Kardashian West surpreendeu a platéia ao dizer que não segue uma estratégia, tem apenas um time que cria e desenvolve ideias e que sempre se sente absolutamente a vontade interagindo com as pessoas nos canais digitais.

Logo, o game KKH é uma excepcional experiência de engajamento com ênfase na mobilidade e mescla, combina e propõe um caldo de cultura pop, comédia, moda e experiência de marca no mundo digital. Uma combinação poderosa que faz de Kim uma máquina de geração de notícias, manchetes e evidência. O sonho de consumo e muitas marcas. Novamente, podemos usar o exemplo da Paper, revista que viu sua estratégia digital ganhar gigantesco impulso a partir de uma capa com Kim Kardashian West.

A capacidade de conexão de KKW é enorme. Ela responde, conversa e mantém conversações com pessoas no Twitter. E segue pessoas sem receio de manter diálogos. Pois o Twitter é a plataforma que parece segura para celebridades manterem contatos com as pessoas. Para ela, o Instagram é muito promocional mas de grande apelo fashion e capacidade viral.

O game Kim Kardashian: Hollywood te updates a cada quarter. O game é único no mundo porque leva o jogador a se sentir no mundo de Kim. Para o CEO da Glu, Niccolo de Masi, “a história do KKW é transmídia, social, interativa e continuará surpreendendo a plateia e os consumidores no mundo”.

Kim encerrou a  conversa declarando que adora vídeo games: “É excitante trabalhar com os designers do jogo e desenvolver novas ideias para deixar o jogo melhor. É o mundo de Kim”.

Entre o mundo de Kim, que cria e recria uma realidade baseada no conceito de cultura pop, glamour e descontração e o mundo real, acidamente satirizado pela Selena Meyer de Julia Louis-Dreyfus há dois caminhos para serem seguidos por marcas e empresas na busca do engajamento. Saber qual é o mais adequado para a sua marca, a sua imagem e a sua empresa é o desafio.

*Jacques Meir é Diretor de Conhecimento e Plataformas de Conteúdo do Grupo Padrão