Índice de confiança dos empresários cai em junho

O indicador que mede a expectativa para o futuro tem leve melhora entre os MPEs, segundo SPC Brasil

O Indicador de Confiança MPE (ICMPE) registrou 36,38 pontos em junho, resultado abaixo do nível neutro de 50 pontos. O indicador continua mostrando pessimismo dos micro e pequenos empresários com o presente e o futuro da economia e dos negócios.

Os dados são apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

De acordo com o levantamento, o resultado de junho ficou um pouco abaixo do registrado em maio, quando o indicador marcava 36,65 pontos, e mostra que a avaliação dos empresários sobre o presente e os próximos seis meses está mais pessimista do que em maio.

Honório Pinheiro, presidente da CNDL, acredita que o cenário econômico e a divulgação de escândalos de corrupção diminuem a confiança dos micro e pequenos empresários, o que leva a uma desaceleração no crescimento da economia. ?Se há otimismo na conjuntura, os empresários estão mais dispostos a correr riscos para ampliarem seus negócios e contratar mais funcionários?, explica.

Já o indicador de Condições Gerais, que mede a percepção dos empresários nos últimos seis meses, registrou em junho 20,69 pontos. Ainda mais baixo que o de maio, 23,39 pontos. Ainda mais distante dos 50 pontos, está o Indicador das Condições Gerais da Economia que marcou 15,07 pontos, ante 16,60 pontos em maio.

Quanto as Condições Gerais do Negócio atingiram 26,31 pontos, abaixo dos 30,18 pontos registrados em maio. ?A piora na situação dos negócios não foi tão sensível quanto a piora da economia, mas na opinião da maioria dos micro e pequenos empresários, as condições gerais dos negócios pioraram nos últimos meses?, analisa Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

Segundo o estudo, o Indicador de Expectativas foi o que ficou mais próximo no nível neutro: 48,15 pontos em junho, representando uma melhora sobre os 46,69 pontos de maio. Para a economista as expectativas, tanto para a economia como para os negócios, ficaram acima do observado no mês anterior, embora o número mostre que ainda há mais empresários pessimistas do que otimistas.

Ao analisar as Expectativas para a Economia, o indicador registrou 41,30 pontos em junho, acima dos 38,27 pontos de maio. ?Ainda que o dado tenha obtido uma melhora, é precipitado esperar a volta da confiança empresarial?, explica Kawauti.

Ainda segundo o levantamento, o indicador de Expectativas para os Negócios registrou 55 pontos, um pouco acima dos 54,91 de maio. A economista avalia que essa leve melhora de ânimo pode estar associada às perspectivas de vendas de final de ano.

Leia mais

Micro e pequenos empresários estão pessimistas

Confiança dos varejistas atinge menor nível

Confiança do comerciante recua






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS