Dez curiosidades sobre a história da pizza

O Brasil é o segundo maior consumidor de pizza do mundo. Veja quais são as preferências de cada região, a origem da data comemorativa, seu início em solo tupiniquim e até mesmo porque somos o país onde tudo acaba em pizza

Queridinha dos domingos, vedete dos dias de preguiça, unanimidade entre as massas no Brasil. A pizza pode ter vindo da Itália, mas os brasileiros elevaram a arte de preparar os discos a outro patamar. São Paulo é a segunda cidade que mais consome a massa redonda no mundo e tem, de acordo com muitas pessoas, a melhor pizza do globo.

O Dia da Pizza, comemorado todo dia 10 de julho, é celebrado desde 1985. A história da data é que ela foi instituída pelo então secretário de turismo de São Paulo, Caio Luís de Carvalho, por ocasião de um concurso estadual que elegeria as 10 melhores receitas de mussarela e margherita. Empolgado com o sucesso do evento, ele escolheu a data de seu encerramento, 10 de julho, como data oficial de comemoração.

No Brasil, a história da pizza começou no tradicional reduto italiano do Brás. Segundo consta no livro Retalhos da Velha São Paulo, escrito por Geraldo Sesso Jr., que o napolitano Carmino Corvino, o Dom Carmenielo, dono da já extinta Cantina Santa Genoveva, instalada na esquina da Avenida Rangel Pestana com a Rua Monsenhor Anacleto, inaugurada em 1910, passou a oferecer as primeiras pizzas da cidade.

Aos poucos, a pizza foi-se disseminando pela cidade de São Paulo, sendo abertas novas cantinas. As pizzas foram ganhando coberturas cada vez mais diversificadas e até mesmo criativas. No princípio, seguindo a tradição italiana, as de muçarela e anchova eram as mais presentes, mas à medida que hortaliças e embutidos tornavam-se mais acessíveis no país, a criatividade dos brasileiros fez surgir as mais diversas pizzas.
Em 14 de junho de 1984, o pizzaiolo italiano Antonio Pace fundou a Associazone Verace Pizza Napoletana (“Associação da Verdadeira Pizza Napolitana”. A organização pretendia preservar a cultura culinária italiana, determinando o tamanho exato e os modos de preparação da verdadeira pizza napolitana.

 

Conheça algumas curiosidades sobre a pizza:

A verdadeira pizza napolitana deve ter o verde do manjericão ligeiramente mais escuro, por causa do processo de cozimento, o branco da mussarela deve aparecer em tiras esparças, a farinha tipo “00”, água deve ter pH entre 6 e 7, temperatura entre 20 e 22 ºC e de 60 a 80 miligramas de cálcio por litro, o sal usado deve ser marinho, Ggrdura não pode ser usada em nenhuma parte do processo, o pH final da massa deve ser 5,87 e, finalmente, o orégano usado deve ser o “Origanum vulgare”, da família “Labiatae”;

As pizzas devem ser cozidas em superfícies de pedra, de 60 a 90 segundos, a uma temperatura de 485 ºC.

Por que no Brasil tudo acaba em pizza? O termo ?acabar em pizza? teve origem no futebol paulistano, mais precisamente da tradicional equipe do Palmeiras, já que sempre foi grande a disputa política dentro do clube de origem italiana e sempre existiam brigas com trocas de acusações entre os diretores da agremiação. Na década de 60, alguns conselheiros palmeirenses se reuniram para resolver problemas que haviam trazido uma crise ao clube. Após 14 horas de discussões, os dirigentes sentiram fome e resolveram ir a uma pizzaria. Várias rodadas de chope, várias garrafas de vinho e 18 pizzas gigantes depois, a paz voltou a reinar. O jornalista Milton Peruzzi, que trabalhava no jornal A Gazeta Esportiva e era setorista do Palmeiras, acompanhou todo o encontro e ditou a seguinte manchete no jornal do dia seguinte: ?Crise do Palmeiras termina em pizza?.

Os sabores mais populares no Brasil são calabresa (exceto no estado de São Paulo, em que o sabor mais popular é calabresa com queijo), marguerita, portuguesa, frango com catupiry e muçarela, de acordo com o blog Lista Mais. Os japoneses preferem pizza de Mayo Jaga (maionese, batata e bacon).

O maior pedido de pizza do mundo ocorreu em San Diego, Estados Unidos, em 2 006. Um  cliente (na verdade, uma empresa que promovia uma comemoração com os funcionários) encomendou sozinho 13 500 pizzas. Para atender o mega-pedido a pizzaria Papa John?s precisou produzir 56 pizzas por minuto e utilizar o forno de 15 pizzarias próximas.

Por medo da concorrência, a Pizza Hut nunca abriu filial na Itália.

No dia da pizza, o aumento no consumo chega a 20% a mais do que o total.

São Paulo é o estado que mais consome pizzas no Brasil, mais da metade das pizzas brasileiras são comidas por consumidores paulistas.

A história da pizza começou há 6 mil anos com os egípcios. Outros afirmam que os pioneiros foram os gregos, que faziam a massa à base de farinha de trigo, arroz ou grão-de-bico e a assava em tijolos quentes. E a novidade foi para a península da Etrúria, na Itália. No país, o prato foi o principal alimento dos pobres do Sul. Mas foram os napolitanos que passaram a acrescentar molho de tomate e orégano à massa, que era dobrada ao meio e comida como sanduíche. Quem podia, colocava queijo, lingüiça ou ovos por cima.

A partir do século XVI, a novidade começou a ser apreciada na corte da Nápoles. Porém, tinha formato retangular. A forma arredondada só foi adotada durante a 2ª Guerra Mundial. Além de dar menos trabalho na hora de abrir a massa, a pizza redonda evitava desperdícios. Afinal, para deixar o prato retangular era necessário cortar as bordas.

 




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS