7 dicas para driblar o desemprego

A taxa de desemprego no Brasil atingiu 8,1% no trimestre encerrado em maio, maior índice desde 2012, quando o IBGE iniciou a série

Apesar do mercado de trabalho estar mais enxuto, as oportunidades para quem perdeu o emprego ainda existem, mas é preciso saber como agir para se recolocar rapidamente e, se possível, em uma posição melhor. Pensando nisso, Karina Freitas, diretora de transição de carreira da STATO, consultoria especializada em gestão de carreira, deu sete dicas para quem perdeu o emprego lidar com a situação da melhor forma e conquistar um novo trabalho.

1. Ao receber a notícia do desligamento, a primeira coisa a fazer é ir para casa e administrar suas emoções. Como todo processo de ruptura, permita-se viver o luto. Mas logo mude esta lente porque, acredite, esta é uma preciosa oportunidade para refletir, definir os próximos passos da sua carreira e até mesmo se reinventar;

2. Já passado o baque da demissão, revisite sua trajetória profissional, avalie o que foi bom e vale a pena manter e o que não faz mais sentido e quer eliminar. Faça escolhas e um planejamento não apenas para a próxima recolocação, mas também para os próximos ciclos da carreira. Identifique oportunidades e pontos que podem ser desenvolvidos para chegar onde deseja e vá em busca desta preparação;

3. Definido um objetivo sustentado por realizações, resultados e competências, é hora de reformular o currículo. A primeira imagem é a que fica, assim a elaboração do currículo conta, por isso opte por um modelo conciso e bem redigido. Todas as informações devem contemplar no máximo duas páginas com os seguintes tópicos: dados pessoais, objetivo, formação, resumo das qualificações, atividades profissionais, empregos anteriores e cursos de aperfeiçoamento;

4. Nas entrevistas de emprego com os recrutadores ou gestores de áreas, destaque os diferenciais competitivos evitando apresentar apenas a descrição dos cargos, desta maneira você será mais atrativo para o mercado de trabalho alvo. Sobre seus defeitos: não vá no clichê perfeccionista. Diga realmente seus defeitos e o que você está fazendo para melhorar;

5. Paralelamente a isso, recorra ao seu networking para ampliar a visibilidade e se conectar a oportunidades e novas possibilidades;

6. Amplie seu espectro de possibilidades. O mercado pode não ter emprego, mas há muito trabalho. Considerar trabalhos pontuais como oferecer consultoria e/ou prestação de serviço, pode ser uma boa forma de se manter ativo e continuar conectado à sua área de atuação. Não se preocupe com remuneração, cargo e forma de contratação. Para isso, é importante ter atitude, vendendo exatamente o que é útil para o outro lado da mesa;

7. Por fim, aproveite este período para fazer o que gosta, cuidar da saúde, curtir a família e organizar outras áreas da vida para voltar ao mercado com mais energia, afinal o mercado hoje demanda bons profissionais com atitude.

Fonte: Assessoria de Imprensa STATO.






ACESSE A EDIÇÃO DESTE MÊS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS