Regularização de dívidas cai 4,86% no 1º tri

Essa é a quinta queda consecutiva na comparação anual, segundo levantamento do SPC Brasil

O Indicador de Recuperação de Crédito registrou queda de 4,87% no acumulado dos primeiros seis meses do ano, na comparação com o mesmo período de 2014.

Os dados são apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o resultado mostra que o cenário econômico atual, com elevação da inflação, das taxas de juros e do número de desemprego reflete cada vez mais no orçamento das famílias e uma das principais consequências é a dificuldade para quitar as dívidas.

Considerando somente o mês de junho, na comparação com junho de 2014, o recuo foi de 5,91%, a quinta queda consecutiva. Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, a desaceleração econômica impacta rápida e diretamente na regularização de dívidas pelos brasileiros. “O cenário econômico afeta fortemente a renda das famílias e isso dificulta a recuperação de crédito por parte das empresas credoras”, explica.

Em relação ao mês de maio, o aumento no número de pessoas inadimplentes que regularizaram duas dívidas foi de 4,25%. No entanto, isso não representa um avanço na economia. Segundo a economista, o resultado só compensou as consecutivas quedas do começo do ano. ?Mesmo com o ajuste fiscal e medidas implementares visando a retomada do crescimento, o cenário a médio e longo prazos ainda é incerto?, completa Marcela.

Leia mais

Regularização de dívidas recua 8,72% em maio

Regularização de dívidas recua 2,69% em fevereiro

34% estão com a renda comprometida




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS