O básico bem feito

Em painel do BR Week, varejistas discutem como priorizar o que é decisivo para a eficiência do setor

Nenhum negócio consegue inovar sem que o básico esteja funcionando bem. Em um mercado desafiador como o nosso, cheio de incertezas, cuidar do básico é fundamental.

No painel mediado por Alberto Serrentino, fundador da Varese Retail, Ubirajara Pasquotto (Bira), diretor presidente da Cybelar, Michel J. Jager, sócio diretor da Koni Store (Grupo Trigo), Marcelo Villela, CEO do banco Losango, João Pedro Serra, vice-presidente comercial do Groupon Brasil, José Luiz Rossi, Presidente America Latina da Serasa Experian e Juarez de Paula, gerente da unidade de atendimento setorial comércio do SEBRAE, discutiram como fazer o básico bem feito.

Nesse sentido, Bira disse que o maior patrimônio da Cybelar é a construção do relacionamento com o consumidor. ?Cuidar dessa relação é importante para nós. Nossa preocupação é atende-lo melhor, para que ele se sinta bem recebido e se sinta bem em nossas lojas?, disse. Para Jager, a experiência do consumidor da Koni Store é não ter experiência nenhuma. ?O cliente compra uma pizza e espera receber no tempo prometido, as vezes é só isso. Nós buscamos os acertos para focar em fazer bem feito?, afirmou Jager.

O Groupon se viu numa bolha com as compras coletivas e aprendeu muito com a experiência do início da operação, construindo alguns atrativos importantes ao longo dos últimos cinco anos. ?A empresa cresceu e se reinventou. Hoje ajudamos pequenas e médias empresas a se desenvolverem de forma sustentável?, comentou Serra. A marca possui centenas de contratos com parceiros e conhecimento do que funciona ou não nesse mercado. ?Não tem alicerce maior do que as pessoas. Elas são fundamentais e a liderança é ainda mais.

Para isso, oferecemos treinamentos constantemente e processos bem definidos. Equipe motivada fecha mais contrato e trabalha mais satisfeito?, explica o vice-presidente comercial do Groupon.

Além de pessoas, Vilela da Losango acredita que os processos são muito importantes. ?Conhecer as pessoas permite fazer
com que os processos funcionem. Tenho que ficar perto da turma, porque depois que eles vendem, o processo tem de ser rápido para que o cliente não vá embora?, disse.

Juarez de Paula do SEBRAE disse que com o crescimento do mercado interno, nas últimas décadas, todo mundo expandiu.
?É preciso ter foco no cliente, com boa gestão de pessoas e de processos. É importante ter um olhar para corte de custos e fidelização de clientes, e, se possível, inovar. Na crise o consumidor muda o comportamento e o varejo precisa entender para se adaptar aos novos hábitos deles?, afirmou.

A Serasa Experian trabalha com informações sobre o comportamento do consumidor e do mercado econômico. “A inadimplência é um indicador que tem crescido em razão, principalmente, de desemprego, e a tendência é que ele continue subindo até o final do ano. Mas, o cenário deve começar a melhorar em 2016”, José Luiz Rossi, Presidente América Latina da Serasa Experian. “A empresa oferece informações para que os varejistas entendam o cenário e planejem suas ações”, completa. Serrentino disse que não precisa negar o cenário. ?Mas os varejistas precisam arregaçar as mangas e ir atrás. Identificar os pontos de melhoria e fazer o básico bem feito?, finaliza.

Leia mais

Foque no cliente que você já tem

Tendências globais: menos números e mais essência

Pequenos notáveis




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS