O que a América Latina pode aprender com os asiáticos?

Novamente estamos na década perdida? Para onde caminha o consumo?

Durante o BR Week, o CCO da Fast Shop, Thiago Quintino, apresentou seu case de admissão na Universidade de Harvard, que compara economias com uma origem comum, mas que tomaram rumos diferentes: as do Leste Asiático e da América Latina.

Para Thiago, o Leste Asiático prosperou porque escolheu um caminho, o da indústria, e uniu o ambiente econômico com o político. Isso não ocorreu na América Latina.

?Para a América Latina já seria ótimo não crescer, mas estamos em queda?. E o Brasil? “Não somos mais o país do futuro. E por quê? Porque o Brasil ainda vende commodity. Vendemos café por um custo de 1 centavo a xícara e o varejo vende isso a 50 centavos. Restaurantes a, no mínimo 1,50. E o Starbucks a 10 reais. E é aí que está a diferença”, argumenta.

Segundo o executivo, a experiência é o diferencial que justifica o preço e o lucro que o Starbucks tem sem produzir um grão de café. E que fará com que o varejo se reinvente, prospere e supere as barreiras de concorrência e preço.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS