A tecnologia que ajuda o varejo

Painel no BR Week discute como tornar TI estratégica para o desenvolvimento dos negócios

A área de tecnologia ainda é pouco compreendida pelo varejo, sendo vista muitas vezes mais como custos do que como fonte geradora de resultados. Em parte isso ocorre porque durante muito tempo esse departamento nas empresas não teve visão pragmática do negócio e não atendia às necessidades da gestão. Esse cenário, porém, está mudando.

?Lentidão não combina com varejo e isso tem feito com que todas as áreas de negócios se tornem mais velozes?, afirma Silvio Laban, coordenador do MBA do Insper e mediador do painel ?A tecnologia a serviço da eficiência de sua loja?, no segundo dia de congressos do Brazilian Retail Week, em São Paulo. O painel reuniu executivos de TI de empresas líderes do varejo nacional para discutir como incorporar tecnologia aos negócios.

Para Julio Baião, diretor de TI da Via Varejo, hoje a tecnologia precisa ser parte do negócio. ?As soluções para aumento de eficiência no varejo estão em TI, que precisa se ver como parte essencial do negócio. As soluções inovadoras dependem de tecnologia e hoje TI é essencial para o varejo?, comenta. ?É preciso ser simples, descomplicado, trabalhando com projetos menores e de implementação mais rápida, justamente para eliminar aquela visão tradicional de que a TI é cara, lenta e afastada das decisões de negócios?, analisa Laércio Ribeiro Aro, diretor de TI da Lojas Avenida.

Ao trazer tecnologia para a loja, os resultados aparecem. Mas é importante não olhar tecnologia de forma isolada, e sim em conjunto com pessoas e processos. ?Ao trabalhar dessa forma é possível encontrar muitas oportunidades?, afirma Aro. Ele exemplifica mostrando que desde dezembro houve um aumento da produtividade dos caixas de suas lojas apenas pelo fato de que agora cada PDV recebe a informação de como a produtividade de sua loja está no ranking geral da empresa. ?Tecnologia é muito importante, mas ela precisa estar ligada a ações de que motivem mudanças de comportamento na ponta?, diz Aro.

Na rede de moda C&A, tecnologia é fundamental. ?Toda a parte de planejamento e pricing depende de estatísticas e análise de dados. Melhoras pequenas trazem grande impacto: se o vendedor coloca uma etiqueta de preço errada acaba afetando toda a margem da empresa e gerando retrabalhos que tornam o PDV menos eficiente?, comenta Hélio Matusmoto, CIO da varejista. Nesse sentido, a revisão de processos permite obter ganhos pontuais que se revertem em processos mais fluidos e melhor desempenho de toda a operação.

Nesse momento de fazer mais com menos, um desafio de TI é fazer com que o varejo opere com mais velocidade, sem perder a direção. ?É um momento muito bom para revisões e priorização?, afirma Fernando Fanizzi, diretor de TI da Óticas Diniz. ?A tecnologia tem a capacidade de fazer com que as empresas sejam proativas e, nessa cobrança por entregarmos mais com menos investimentos, precisamos identificar quais projetos geram retorno. É aí que TI se alinha aos negócios e pode desenvolver ações relevantes para a companhia?, finaliza o executivo.

Leia mais:
Tecnologia: aliada das estratégias do varejo

Como a tecnologia auxilia na prevenção de perdas?

As chaves do omnichannel






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS