Consumidores querem economizar e gerar energia

Accenture mostra que 75% dos brasileiros tem interesse em produtos e serviços que ajudem a economizar eletricidade

Como você acredita que a tecnologia pode mudar a geração de energia? Além da forma como aceitam que os dados sejam usados, a Accenture identificou a forma como os consumidores encaram novas formas de produzir energia. Assim, concluiu que as pessoas estão se tornando cada vez mais conscientes.

Mundialmente, 66% entrevistados estariam interessados em produtos e serviços para ajudá-los a economizar eletricidade. O número representa um aumento de 56% em relação ao ano passado. Ao mesmo tempo, 69% disseram estar interessados em participar de um programa de gerenciamento de energia.
Mais de três quartos dos consumidores no mundo tomaram alguma iniciativa para melhorar a eficiência energética no ano passado, incluindo a instalação de lâmpadas energeticamente eficientes (52%), a redução do uso de aparelhos (34%) e o uso de eletrodomésticos que consumem energia em horários fora do pico (28%). No entanto, quase quatro em cada 10 pessoas (38%) disseram acreditar que seus provedores de energia não são muito eficientes para ajudá-los a gerenciar o consumo.

No Brasil, as notícias também são boas. Mais de 75% dos entrevistados dizem que ficariam interessados em produtos e serviços que os ajudem a economizar eletricidade.

 

Colaborar também é bom

Além de economizar energia, os consumidores estão cada vez mais interessados em gerar e armazenar sua própria eletricidade, por meio, por exemplo, da instalação de painéis solares e armazenamento de baterias domésticas. Assim, 57% disseram que iriam considerar um investimento para promover a sua autossuficiência energética.

“Provedores de energia podem oferecer novas proposições de valor para seus clientes, já que esses produtos e serviços não são mais oportunidades de um mercado de nicho”, diz Guilherme Rocha, gerente sênior da área de Resources da Accenture. “Em mercados competitivos, provedores de energia podem criar novos fluxos de receita, oferecendo soluções digitais para produtos e serviços domésticos, tais como plataformas de geração de energia solar, ferramentas de eficiência energética ou até mesmo combinações de serviços domésticos?

 

LEIA MAIS:

Crise hídrica não afeta empresas, apenas o consumidor

Desenvolver banda larga móvel é essencial na América Latina

Documentos podem ser assinados via smartphone






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS