Veneno de vespa brasileira pode eliminar células cancerígenas

O estudo foi realizado pela Universidade Estadual Paulista em parceria com a Universidade de Leeds, na Inglaterra, publicado na revista Biophysical Journal

Por: - 3 anos atrás

 
A pesquisa revelou que a vespa da espécie Polybia paulista possui um veneno que atrapalha o desenvolvimento de células cancerígenas e mantém intactas as células saudáveis.

A nova aposta para tratamentos oncológicos está apenas no início, ressaltam os pesquisadores, que realizaram o estudo em parceria com o pesquisador da Universidade inglesa Leeds, Paul Beales. ?Isso poderia ser útil no desenvolvimento de novas terapias combinadas, em que múltiplas drogas são usadas simultaneamente para tratar um câncer ao atacar diferentes partes das células cancerígenas ao mesmo tempo?.

A picada da vespa provoca reações desagradáveis, causando coceira, inchaço ou dor. O veneno expelido, porém, contém uma toxina chamada MP1, que o inseto usa para atacar ou se defender. A novidade é que essa substância pode atacar e destruir células cancerígenas.

João Ruggiero Neto, do Departamento de Física da Unesp em São José do Rio Preto e um dos autores do estudo, contou ao Estadão que ?desde que descrevemos a toxina do veneno dessa vespa, em 2009, sabíamos que ela contém peptídeos com uma forte prioridade antibacteriana, funcionando como antibiótico potente. Mais tarde, pesquisadores coreanos e chineses começaram a fazer trabalhos com esses peptídeos sobre células de câncer e nós fomos estudar sua ação em linfócitos com leucemia?.

A Polybia paulista é encontrada no sudeste do país. Pode ser que estejamos mais próximos da resolver uma das maiores questões que tem afetado a humanidade. Acesse aqui para ler a pesquisa completa.
 
Fonte: Hypeness.