8 passos para abrir uma empresa

Confira os pontos de atenção elencados por especialistas em contabilidade

Abrir uma empresa é o objetivo de milhões de brasileiros, para se ter ideia, segundo levantamento da Serasa Experian, no primeiro semestre do ano foram criados 990.964 novos empreendimentos no Brasil. O número representa aumento de 4,9% em relação ao mesmo período do ano passado.

Contudo, abrir um negócio é uma decisão de grande responsabilidade, sendo necessários diversos processos, que necessitam de atenção, principalmente, nos detalhes mais técnicos. Veja alguns pontos de atenção que a Confirp Contabilidade selecionou para ser levado em conta antes de abrir uma empresa.

1. Planejamento do negócio
O grande problema da maioria das empresas é que elas abrem sem um planejamento adequado – o que é importante para ser assertivo com o público alvo e para a definição da estrutura necessária para o negócio. Por isso, é necessário avaliar qual o objetivo da empresa como é possível atingi-lo. Muitas vezes, após essa primeira análise, o empreendedor percebe que precisa de algum tipo de capacitação, ou mesmo um capital inicial maior. Também é importante pesquisar como está o mercado em que se pretende atuar, para ver em qual nicho de público o novo negócio se encaixará.

2. Cálculo de custos para começar a funcionar
É preciso que se tenha em mente que para colocar uma empresa para funcionar haverá custos que vão além dos que já se conhecem no dia a dia de uma empresa. Os principais são as taxas da junta comercial e da emissão do alvará, dentre outras que variam de acordo com a localidade e com o ramo de atuação.

3. Elaboração do contrato social
Para toda empresa funcionar é imprescindível que se elabora um contrato social, é nesse documento que estão relacionados os pontos práticos do funcionamento da empresa. Nesse contrato, haverá informações como nome, endereço e atividade, capital social (valor ou bens investidos), qual a relação entre os sócios e como se dá a divisão dos lucros.

Qulquer alteração contratual faz com que seja necessário refazer as inscrições federal, estadual e municipal, bem como as licenças. As sociedades limitadas só podem ser alteradas caso 75% do capital estiver de acordo. Geralmente o registro de um contrato social pode ser agilizado procurando o sindicato da categoria da empresa.

4. Opção pelo regime tributário que a empresa seguirá
Hoje existem basicamente três regimes de tributação: Simples, Presumido ou Real. A opção pelo tipo de tributação que a empresa utilizará deve ser feita até o início do próximo ano, mas as análises devem ser realizadas com antecedência para que se tenha certeza da opção, diminuindo as chances de erros.

Outro ponto é que cada caso deve ser analisado individualmente, pois não existe um modelo exato para a realização de um planejamento. Apesar de muitos pensarem que o melhor tipo de tributação é o Simples, dependendo do tipo da empresa, o regime pode não ser uma boa opção.

5. Definição da estrutura física
Além de definir o local onde será o empreendimento é necessário também que se adquira toda uma estrutura para o funcionamento da empresa, e isso dependerá de cada ramo de atuação. Sobre o local da empresa é importante observar se ele se adapta ao público alvo, e se há relação com as diretrizes estabelecidas pelo município.

6. Obtenção de registros e licenças
Hoje a burocracia é tanta para as empresas que muitas delas não possuem todos os registros e licenças necessários para o funcionamento – o que pode ser um risco. Dentre os registros necessários, dependendo do tipo de negócio, estão o Habite-se do imóvel (autorização da Prefeitura para que ele possa ser habitado) e as regras de ocupação de solo (cada cidade define regras específicas em leis de zoneamento), alvará de funcionamento, pagamento de taxas de funcionamento, dentre outras licenças necessárias dependendo da atividade da empresa.

Veja todos os documentos necessários e em quais órgão buscar:
Junta Comercial: registros dos atos sociais (contrato social, atas de reuniões, deliberações etc.).
Receita Federal: para obtenção de registro do CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica).
Prefeitura: para obtenção do Alvará de Funcionamento e nota fiscal, caso a empresa seja contribuinte do ISS (Imposto Sobre Serviços).
Secretaria Estadual da Fazenda: para obtenção de inscrição Estadual.

7. Contratação de uma contabilidade
Dependendo do tamanho da empresa, é preciso estruturar uma contabilidade, que será responsável por gerar as informações imprescindíveis para que a empresa esteja em dia com os órgãos públicos. A contabilidade também é responsável pelo cálculo de impostos e tributos que a empresa deverá pagar, bem como pela análise da situação contábil da empresa e geração de informações para a gestão empresarial.

8. Processo de contratação de profissionais
Sua empresa terá necessidade de funcionários? Antes de abrir uma empresa é bom pensar sobre isso, porque no caso do varejo, a mão de obra é um dos pontos mais sensíveis. Após a contratação é necessário elaborar o contrato de trabalho, definir salários, benefícios ver qual o melhor regime de trabalho e regularizar junto ao INSS.

Leia mais

Número de novas empresas sobe 4,9% no 1º semestre

Comércio representa 30% das novas empresas




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS