Você prefere ficar sem água ou sem seu celular?

Pesquisa revela índices alarmantes sobre como e quanto usamos o smartphone no dia a dia

Por: - 4 anos atrás

O que é essencial para a vida das pessoas? Água? Bem, para 42% dos brasileiros, ficar sem água e sem energia elétrica por 24h é melhor do que ficar sem o smartphone. Pelo menos é o que revela a pesquisa ?Hábitos relacionados a Smartphone?, realizada pela Expertise, empresa de pesquisa de mercado e opinião. A ideia foi entender o comportamento dos brasileiros quanto ao uso dos smartphones e o sentimento delas em relação aos aparelhos mágicos.

De fato, em qualquer lugar ? shoppings, restaurantes, livrarias, parques ? quem conseguir desviar os olhos do seu aparelho perceberá que muitas pessoas ao redor estão com os olhos colados nas telas dos seus smartphones. ?É curioso avaliar que 70% das pessoas consideram que usam o celular muito ou mais do que deveriam. Outros 18% afirmam que com certeza são viciados no seu smartphone. Todos os comportamentos e até a autoavaliação que os entrevistados fizeram de si próprios mostram que talvez as pessoas estejam fazendo um uso desenfreado do aparelho?, avalia Christian Reed, CEO da Expertise.

Nos transportes públicos, os celulares conectados são excelentes companhias durante o trajeto. No entanto, ao chegar nas estações, no entanto, eles se tornam uma complicação, bem como nas ruas e avenidas. A pesquisa revela, por exemplo, que o risco de tropeções ou trombadas é eminente para 34% dos entrevistados, já que eles admitiram que sempre, ou com muita frequência, costumam usar o telefone enquanto andam a pé. O perigo também ronda a vida dos brasileiros que infringem as leis de trânsito enquanto dirigem: 4% dos entrevistados sempre fazem uso dos smartphones enquanto dirigem e 3% o fazem com muita frequência.

A pesquisa revela também que apenas 22% das pessoas preferem conversar presencialmente com seus amigos. ?Os mais jovens preferem falar por mensagens de texto e os mais velhos acabam optando por ligações, mas apenas um em cada cinco entrevistados escolheram a forma presencial de comunicação?, explica o CEO. Além disso, 26% mencionaram que amigos ou familiares chamam a atenção sempre ou com muita frequência, porque o uso do celular é excessivo ? mesmo na presença de outras pessoas, durante as refeições ou ainda enquanto assistem televisão, por exemplo.

Com relação ao tempo que passam conectados à internet, 45% mencionaram manter a internet conectada no wi-fi 3G ou 4G o tempo todo; 22% utilizam tanto wi-fi quanto 3G ou 4G, mas não ficam conectadas o tempo todo; 21% utilizam a internet apenas no wi-fi de casa ou do trabalho; 6% usam a internet apenas em lugares que possuem wi-fi, mas pedem a senha quando estão em bares ou restaurantes; apenas 5% mencionaram ficar desconectados a maior parte do tempo e só usar a internet quando precisam.

O término da bateria do celular é motivo de ansiedade e nervosismo para 51% dos brasileiros, assim como para 39% dos entrevistados a falta de sinal wi-fi, 3G ou 4G gera stress. O mesmo acontece com 49% dos respondentes que se veem sem sinal de telefone para a realização de ligações. Ainda, 41% das pessoas que participaram da pesquisa admitiram que não vivem sem o smartphone e 61% disseram que não voltariam a ter um telefone comum, que apenas efetuasse e recebesse ligações.

Os dados da pesquisa foram coletados pela Opinion Box, plataforma de pesquisa digital. Foram entrevistados 1.574 internautas acima de 16 anos, de ambos os sexos, de todas as classes sociais e moradores de 512 cidades de todas as regiões do país, durante o mês de setembro.

Fonte: Consumidor Moderno