Quanto vale uma ideia?

Conheça a história de um estudante que teve uma ideia inovadora para realização de pagamentos móveis e poderá ganhar um bom dinheiro com isso

Quanto vale uma ideia? No caso do estudante Flávio Salviano Junior, a resposta é exatamente R$ 100 mil. Ele está no terceiro ano do curso de Sistemas de Informação no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, e é um dos finalistas do Prêmio Santander Empreendedorismo. A proposta de Salviano é uma mudança no modelo que usamos para realizar pagamentos: ele quer desenvolver um sistema em que, para efetuar uma compra, você precisará apenas fornecer o número de seu telefone celular.

?O objetivo é propor uma nova tecnologia para efetuar o pagamento, tornando o processo mais seguro, pois as pessoas não precisarão repassar informações de seus cartões aos estabelecimentos comerciais?, explica o estudante. Aumentar a confiabilidade nas compras online e evitar o tráfego de informações confidenciais na rede são algumas das vantagens adicionais do sistema que Salviano pretende desenvolver, que já tem nome: PayCloud.

Como funciona a solução?

Os compradores precisarão cadastrar os dados de seus cartões e demais informações pessoais uma única vez na plataforma PayCloud. Por sua vez, os vendedores também deverão se cadastrar na plataforma para poderem utilizar o sistema. Ao realizarem esse cadastro, compradores e vendedores poderão se comunicar por meio da plataforma usando um aplicativo. Assim, quando for efetuar uma compra, bastará os compradores fornecerem o número do celular aos vendedores cadastrados. Com o número em mãos, os vendedores enviarão uma solicitação de pagamento para aquele telefone por meio do PayCloud. Ao receber a solicitação, basta o comprador acessar o aplicativo, inserir sua senha e autorizar o pagamento com um dos cartões já cadastrados no sistema. Automaticamente, o PayCloud enviará um comprovante de pagamento para o lojista.

?É um sistema que pretende solucionar o problema de quem não efetua compras pela internet porque tem receio de disponibilizar informações confidenciais em qualquer site e o dilema de quem sai de casa para ir a uma loja e fica com medo de ter sua carteira ou cartão roubados?, destaca Salviano. Por ter conquistado uma colocação entre os 15 projetos finalistas no Prêmio Santander Empreendedorismo, o estudante vai apresentar sua proposta em São Paulo para um grupo de especialistas que o ajudará a aprimorar sua apresentação. No dia seguinte, será o momento de mostrar sua ideia para uma comissão julgadora composta por executivos brasileiros e, após alguns dias, Salviano saberá se está na lista dos cinco projetos vencedores. Além de receber R$ 100 mil, os vencedores e os professores que os orientaram terão direito a uma bolsa de estudos na Babson College, em Boston, nos Estados Unidos, e a mentoria e licenças online fornecidas por uma empresa brasileira reconhecida na área de empreendedorismo.

Reconhecimento

?Desde quando ele me apresentou a ideia, achei que tinha potencial porque era algo simples e inovador?, conta Ellen Francine, professora do ICMC que orientou Salviano durante o desenvolvimento do projeto. ?É um sistema totalmente viável computacionalmente. É claro que ele precisará tratar especialmente os aspectos de segurança, mas qualquer método de pagamento exige isso?, completou a professora. Para ela, o projeto de Salviano está em sintonia com a tendência de ampliação no uso dos dispositivos móveis.

?Antes, não vivíamos sem o cheque. Agora, pagamos no cartão. Mas daqui a pouco, faremos tudo via celular. Essa é uma tendência”

Perfil empreendedor

Salviano é analista de sistemas em uma empresa da área de tecnologia em Araraquara e descobriu a oportunidade de participar do Prêmio Santander Empreendedorismo por causa de um e-mail que recebeu com o título ?Links da semana?, enviado todas as sextas-feiras pelo ICMC. Quando leu o edital do Prêmio, faltavam apenas duas semanas para as inscrições acabarem. Mas notou que não era preciso desenvolver o projeto, bastava apresentar uma ideia. Então, resolveu tentar. Enviou uma mensagem para a coordenadora do curso, professora Simone Souza, que imediatamente encaminhou a solicitação para a docente responsável por ministrar a disciplina de empreendedorismo. Foi assim que o estudante conheceu a professora Ellen.

Há cerca de 10 anos, Ellen é uma das responsáveis pela disciplina de empreendedorismo, oferecida aos alunos dos cursos de Sistemas de Informação e Engenharia de Computação. ?Temos cada vez mais alunos interessados em empreender e o ICMC busca estimulá-los. Mas muitos estudantes não sabem como começar, por isso, nas aulas, busco mostrar quais são os passos iniciais para empreender?. A professora conta que usa o modelo de sumário executivo do Prêmio Santander Empreendedorismo durante as aulas e que sua intenção é motivar a vertente empreendedora também nos estudantes da pós-graduação do Instituto: ?Queremos incentivar os alunos a desenvolverem suas pesquisas já pensando em criar produtos com inovação?.

Segundo Ellen, Salviano tem o perfil de um empreendedor: mesmo ainda não sendo aluno da disciplina de empreendedorismo, a qual só cursará no próximo ano, ele foi proativo e correu atrás de todas as informações de que precisava para construir o sumário executivo de seu projeto, requisito básico para participar da competição. Depois, precisou contar com o mesmo autodidatismo para desenvolver o plano de negócios.

?Para ser um empreendedor, não basta ter uma boa ideia, é preciso também enxergar as oportunidades?

Salviano já mobilizou a família. Ele conquistou dois sócios: a própria namorada, Caroline dos Santos, que cursa Ciências de Computação na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar); e seu irmão, Henrique Salviano, que cursa Estatística na UFSCar. Na próxima quinta-feira, todos estarão torcendo para que Salviano comece a trilhar uma nova etapa de sua vida. ?Quero ter algo meu e trabalhar para mim mesmo?, finaliza.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS