Conheça o Clube de Ação do Consumidor do Zimbábue

Ajudar consumidores a gerir melhor suas decisões de compras em regiões de extrema pobreza, este foi um dos destaques do Congresso Mundial da Consumers International 2015

Por: - 4 anos atrás

A República do Zimbábue, na África, é um dos países com o maior nível de desigualdade social do mundo. Em alguns vilarejos o consumidor vive com apenas 2 dólares por dia. Em situações como esta, de extrema pobreza, muitas vezes, a única saída para a sobrevivência parte de iniciativas de associações governamentais preocupadas com a subsistência daquele povo.

Uma delas foi apresentada durante o Congresso Mundial da Consumers International 2015, realizado de 18 a 20 de novembro em Brasília (DF). No painel ?Ajudando os consumidores a economizar dinheiro?, Rosemary Siyachitema, diretora-executiva, Conselho do Consumidor de Zimba?bue, falou do trabalho à frente dos Clubes de Ação do Consumidor (Consumer Actions Clubes) – uma espécie de clube de compras para consumidores menos favorecidos do Zimbábue.

Rosemary explicou que a maioria dos membros do clube são mulheres, que estão preocupadas com o consumo básico de suas famílias. ?Através desse clube, houve uma facilitação na compra em grande quantidade de recursos básicos no atacado como farinha, açúcar, etc?, explica Rosemary. ?É mais que um serviço, é uma missão para elevar a economia nessas regiões, onde a mulher tem um papel fundamental?, completa.

Os grupos, segundo a diretora, possuem presidente e tesoureiro. A cada mês os cidadãos depositam uma pequena quantia em dinheiro (centavos de dólares) para o caixa do grupo. Ao final de seis meses, os presidentes e tesoureiros definem a compra dos produtos de maior necessidade.  ?O papel do conselho é justamente negociar com fornecedores melhores preços e produtos?, diz Rosemary.

?A ideia e ter uma escala de economia e a mulher tem esse papel no Zimbábue?- Rosemary Siyachitema

Principais resultados dos Clubes de Ação do Consumidor

– Com 30 dólares por mês economizados, uma família de um vilarejo do Zimbabue consegue pagar o socorro médico em caso de emergência

– A economia também ajuda na educação dos filhos com a compra de material escolar

– Por meio da gestão do Clube, as compras dos mantimentos básicos de alguns vilarejos passaram a durar cerca de 4 a 5 meses

– Alguns dos presidentes e tesoureiros tornaram-se representantes em movimentos de políticas locais

?É um processo de educação para o consumo. Por meio desse envolvimento com os clubes os consumidores trazem seus questionamentos e suas demandas. Eles se tornam cidadãos mais interessados e se apoiam por meio desses clubes. Isso se tornou uma missão de crescimento para diversos povos do Zimbábue?, conclui Rosemary.

Leia mais

Os políticos aprovam leis de interesse do povo?

Presidente Dilma Rousseff abre o World Congresss da Consumers International em Brasília

A nova definição do consumidor