8 dicas antes de investir em ações na Bolsa de Valores

Que tal começar o novo ano com um investimento novo? Se você tem um dinheiro sobrando e não precisará dele, aqui é seu lugar

Por: - 4 anos atrás

 
Em um país com taxas de juros altas, os investimentos em renda fixa, como fundos DI, acabam sendo mais vantajosos para quem não tem um grande apetite por risco. Mas, para quem quer alocar dinheiro em ações, é importante conhecer bem o mercado antes e tomar alguns cuidados antes para diminuir os riscos. 

1. Defina o seu perfil de investidor

Ele vai definir o horizonte em relação ao investimento, além da propensão a perdas que o investidor possua. Se os cabelos ficarão em pé por causa de uma diminuição repentina da cotação de uma ação, deve-se buscar outra alternativa. Se o recurso pode ficar por um tempo maior investido, trata-se de um indicador de que a Bolsa é uma boa opção. Os próprios bancos e corretoras possuem o questionário para indicar o perfil.

2. Busque conhecimento técnico

É preciso conhecimento específico de mercado e sempre procurar ler sobre a atual situação econômica não somente no Brasil, mas em todo o mundo.

Mais da metade dos investidores da bolsa brasileira são estrangeiros. Portanto, se houver uma grande fuga de capitais desses investidores, a tendência é que o mercado se retraia e os índices da nossa bolsa se diminuam no curto prazo. Se isso ocorrer, seu conhecimento adquirido poderá indicar possíveis saídas entre permanecer investido ou resgatar os investimentos.

3. Invista de maneira gradativa

Não comece com todo o seu capital na bolsa de valores. Ao primeiro revés, você terá a tendência de apenas realizar prejuízos e nunca mais voltará a investir, acreditando ser um mau investimento. O ideal é começar com uma quantia relativamente pequena e ir aumentando conforme as sobras forem aparecendo.

Um dos segredos de um bom investidor em bolsa é a paciência. Se você tiver paciência e souber esperar pelas melhores oportunidades, dificilmente sairá perdendo no longo prazo.

4. Trabalhe em conjunto com sua corretora

Algumas corretoras oferecem informações importantes como sugestões mensais de carteiras, situação dos diferentes mercados, dentre outras informações técnicas para ajudar os seus clientes na tomada de decisões de onde investir nem ações.

5. Diversifique os investimentos

Não basta apenas achar que, por ter investido em cinco ou seis diferentes empresas, seu investimento estará diversificado. É importante atuar em diferentes mercados. O ideal é que se invista um percentual em uma empresa de aviação comercial, outro em empresas varejistas e mais um percentual em uma empresa de infraestrutura. 

Isso é uma carteira diversificada e um problema no varejo poderá ser recuperado por uma alta das empresas de aviação, por exemplo.

6. Evite o desespero diante de situações negativas

Se uma ou duas ações da sua carteira estão com desempenho abaixo do esperado ou com repetidos resultados negativos, não entre em pânico. Uma das piores coisas que um investidor de bolsa deve fazer é consultar as cotações das ações de hora em hora. Além de fazer mal à própria saúde, não fará com que as cotações se elevem.

O ideal é que você ponha limites para perdas e saiba reconhecer quando sair derrotado. Lembre-se que um dos principais atrativos da bolsa de valores é a alta volatilidade, que permite aos investidores possibilidades de ganhos maiores, mas de perdas também. 

7. Deixe de lado ações muito caras

O valor do ativo pode ser um indicador da saúde da empresa. Mas, algumas ações de empresas acabam ficando muito caras, com papeis valendo, algumas vezes, acima de R$ 1000/cada. Nesses casos, é comum as companhias dividirem (fazer um split) a ação ? e, consequentemente, o preço ? para deixar o investimento em suas ações mais acessível e popular e ganhar liquidez.  Se você quer investir em ações com esse perfil, vale a pena esperar para ver se a empresa fará split.

 8. Programe-se para pagar menos tributos

O imposto de renda deve ser pago em todo ganho de capital em bolsa no percentual de 15% em operações normais e em 20% em operações ?day-trade?, que são aquelas que ocorrem em um único dia, às vezes, em minutos. 

No entanto, para as operações normais, há a parcela isenta de ganhos quando o valor negociado for inferior a R$20 mil mensais. Portanto, se você tiver um mês com menos negociações, programe as datas para não extrapolar o limite de isenção, pois isso poderá fazer uma grande diferença nos seus ganhos ao longo dos meses. 

Segurar uma venda por alguns dias pode fazer com que você deixe de pagar 15% dos seus ganhos como imposto de renda. Basta se programar.
 
*Via GuiaBolso.