Varejo deve perder bilhões com feriados em 2016

Impacto negativo é atribuído à queda nas vendas, aponta FecomercioSP

Os feriados nacionais de 2016 deverão provocar um impacto negativo de R$ 13,8 bilhões no varejo brasileiro, garante um estudo realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Embora expressivo, por outro lado, o impacto deverá ser 7% menor: R$ 1 bilhão a menos na comparação com o ano anterior.

Leia também:
Vendas de SP registram a maior queda desde 2008 

O número de dias de feriados tanto em 2015 como em 2016 é o mesmo. Ao todo, serão 13 dias em que o varejo não abrirá ou abrirá parcialmente. Segundo a assessoria econômica da FecomercioSP, no entanto, o que pode explicar essa redução das perdas é a trajetória de queda nas vendas do varejo prevista para este ano.

Entre as atividades analisadas, o setor mais impactado durante o ano será o de outras atividades, que responderá por cerca de 40% das perdas do comércio varejista com os feriados, e que corresponde ao comércio de combustíveis, além de joias e relógios, artigos de papelaria, entre outros. Destacam-se também os segmentos de supermercados (28%) e farmácias e perfumarias (14%).

Leia também:
Quase metade das MPEs estão pessimistas 

De acordo com a entidade, há dois aspectos que estão no calendário que merecem ser discutidos: a criação de novos feriados ao longo dos anos e a elevação de custos para as empresas que optam por abrir nesses dias.

Para a FecomercioSP, a criação de novas datas é maléfica a todas as atividades econômicas, assim como o pagamento de encargos trabalhistas pelos estabelecimentos que optam pela abertura nos feriados. A Entidade defende a modernização das leis trabalhistas, já que o modelo atual prejudica tanto o empresário (com o aumento dos custos) quanto o empregado (que perde rendimentos ao deixar de obter as comissões sobre as vendas).

Leia também:
Varejo demitiu 204 por dia em SP 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

O que esperar da parceria entre Nike e Centauro?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS