Intenção de Consumo das Famílias cai 35% em janeiro

Pesquisa da CNC indica nova retração nas vendas do varejo em 2016

Neste mês de janeiro a Intenção de Consumo das Famílias (ICF), apurada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), registrou queda de 35,3% em relação a janeiro de 2015, ficando abaixo dos 100 pontos numa escala de 0 a 200. A CNC destaca que o baixo nível indica uma percepção de insatisfação com as condições correntes.

Leia também:
Consumo das famílias despenca 36%

Todos os componentes da ICF registraram queda, sendo a maior no que mede o momento para a compra de bens duráveis, que registrou 48,5 pontos ? um recuo de 50,1% em relação a janeiro de 2015.

A maior parte das famílias, 72,9%, considera o momento desfavorável para a aquisição de duráveis. O componente Nível de consumo atual é o segundo subíndice mais baixo do estudo, com 55,3 pontos ? queda de 45,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

Leia também:
Vendas do e-commerce sobem 15,3% em 2015

Juliana Serapio, assessora Econômica da CNC, disse em nota que a ICF está em nível bastante baixo em termos históricos e com tendência de queda quando observado em médias móveis trimestrais. Desde maio de 2015, o índice permanece abaixo dos 100 pontos, indicando uma percepção de insatisfação com a situação atual.

Para a CNC, o cenário atual e dos meses anteriores foram marcados pela deterioração nas vendas do comércio. No acumulado dos 11 primeiros meses de 2015, foram fechadas 945 mil vagas formais de trabalho, de acordo com o Ministério do Trabalho. Analisando as condições atuais e as perspectivas futuras da economia, a previsão da CNC é que o volume de vendas do varejo apresente retração de 3,7% em 2016.

Leia também:
Intenção de compra sofre maior queda desde 2004






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS