Famílias de SP não querem saber de financiamentos

Intenção de contrair dívidas caiu 24,4% em janeiro, segundo a FecomercioSP. Confira

A intenção das famílias paulistanas de contrair dívidas nos próximos meses permanece baixa, segundo indicador divulgado hoje (01) pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Em janeiro, a intenção de contrair dívidas caiu 24,4% em relação ao mesmo mês do ano passado. Na comparação com dezembro, contudo, houve uma leve alta, de 0,5%.

No primeiro mês do ano, a Pesquisa de Risco e Intenção de Endividamento (PRIE) mostrou que 91,1% dos entrevistados não pretendem contrair financiamentos nos próximos meses.

Leia também
Números que importam: indicadores da semana

Segundo os economistas da FecomercioSP, apesar do conservadorismo dos consumidores, a previsão é de aumento da inadimplência no início de 2016, resultado do aumento do desemprego esperado para o período. Mas esse aumento será gradual.

O índice de segurança de crédito avançou 0,8% em relação a dezembro. Na comparação anual, porém, houve retração de 9,2%. Já a segurança de crédito entre os que não possuem dívidas aumentou 5,7% em janeiro na comparação com o mês anterior.

Com a queda da renda e o aumento de desemprego, além da inflação alta, muitos consumidores passaram pelo chamado “efeito do 13º salário”, quando os endividados melhoraram suas condições e preferiram utilizar seus aportes para quitar dívidas. Agora, porém, a segurança de crédito entre os consumidores desse grupo voltou a cair.

Leia também
Intenção de consumo em SP é a menor desde 2010






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS