Crise: oportunidade de adquirir a casa própria

Pareceu loucura para você? Então confira no artigo abaixo por que não tem nada de louco nisso

Por: - 4 anos atrás

Shutterstock

Sabemos que a situação do país não está muito favorável, especialmente no que diz respeito a se comprometer com dívidas. A economia está instável, assim como o emprego e, por consequência, a confiança da população.

Em meio a isso tudo, aqueles que pensam em adquirir a casa própria se veem de mãos atadas, não sabendo quando e como conseguirão realizar esse objetivo.

Por isso, uma notícia que pode alegrar é a de que a Caixa Econômica Federal aumentou o limite do financiamento de imóveis usados de 50% para 70%. A medida, que entra em vigor a partir do final de março, vale para os financiados dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), no valor de até R$ 750 mil. Então, a pergunta que fica é: vale a pena comprar agora?

Leia também: Hora de repensar o padrão de vida

A iniciativa serve para estimular as vendas, uma vez que o mercado está em baixa já há algum tempo. A crise afeta quase todos os lados envolvidos, o que gera uma situação complicada, pois fica tudo travado e não saímos do lugar. Para quem já estava se planejando para uma aquisição como essa, a novidade realmente é boa, pois vai facilitar bastante.

Antes de qualquer coisa, o comprador precisa ter total ciência da sua vida financeira. É ótimo poder financiar a maior parte, mas é de extrema importância que não se deixe levar pela ansiedade e impulsividade. É preciso analisar minuciosamente as finanças, fazer simulações, enfim, saber exatamente onde está pisando e se terá condições de sustentar essa ideia.

Leia também: Educação financeira na periferia

Não adianta se precipitar com uma ideia somente por conta do aumento do limite do financiamento. É uma boa oportunidade, mas apenas para quem já estava se programando, afinal de contas, é um compromisso de médio a longo prazo, de alto valor. Devemos lembrar que o melhor sempre é poupar primeiro e gastar depois, então, quanto menos precisar financiar, melhor.

Cautela, informação e educação financeira são os pontos essenciais para uma boa aquisição nesse momento. É preciso ir atrás da taxa de juros cobrada no financiamento do SFH, ter total ciência da sua condição financeira e confiar na sua fonte de renda, pois, caso contrário, como irá honrar com o que deve nos próximos anos? Agir com consciência é a chave do negócio.

 

***

Reinaldo Domingos é mestre em Educação Financeira e terapeuta financeiro, e presidente da DSOP Educação Financeira, Abefin e Editora DSOP.