PREOCUPADO COM OS MILLENNIALS? ESPERE ATÉ CONHECER A GERAÇÃO Z

Com características muito próprias, esta geração mudará o mundo

pixelrain/ Shutterstock

“Fluidez e honestidade: a geração Z e a identidade em 2025”. Esse foi o tema da apresentação de Jaclyn Suzuki, Diretora de Criação da Ziba Relevance Studio, no SXSW 2016. Uma apresentação centrada na maneira pela qual a geração Z modificou a ideia de gêneros. Para os membros dessa geração, discussão sobre gêneros – masculino e feminino – não faz sentido. É uma escolha individual. Mas o que levou essa geração de nativos inteiramente digitais a pensar desse modo?

Para as pessoas da geração Z, mobilidade e interatividade são uma dádiva. Elas impressionam-se menos com os últimos lançamentos e são mais interessadas naquilo que as ajude a conduzir suas “paixões na vida”. Cultivam a intimidade, coisas tangíveis e o charme do que é analógico.

Outra característica dessa geração é o cuidado com a privacidade digital. Questões como a neutralidade da rede e a segurança dos dados são extremamente sensíveis. Ao mesmo tempo, são a geração que mais midiática de todas. Aceitam que o publicado on-line está lá para sempre, mas, em contrapartida, fazem questão de manter seguro e privado o que decidiram manter seguro e privado.

São separados por culturas e unidos pelas crenças. O efeito Bernie Sanders, pré-candidato do partido democrata à presidência dos EUA, pode ser explicado por essa busca por justiça e igualdade. As pessoas da geração Z acreditam firmemente que estão unidas porque estão conectadas entre si. Elas não focam nas características que possam apartá-las – religião, política, guerras, dinheiro – mas sim no que pode pavimentar o caminho para um futuro melhor para todos. Elas integram múltiplas identidades, para que assim possam mirar sempre no objetivo a ser alcançado. Isso significa que não irão esperar que o mundo mude. Elas farão a mudança. Ponto. As ferramentas da transformação estão nas suas mãos, com seus smartphones, o que as encoraja a ir adiante.

Não por acaso, a geração Z gosta de assumir todos os rótulos. “Vocês não me colocarão em dicionários” parece seu lema, “porque sou o que vocês quiserem”, mudando de rótulo a todo instante. Tudo que define um membro da geração Z, do nome da família, ao time, aos futuros empregos pode ser modificado, combinado e redimensionado a cada dia.

A revista Consumidor Moderno de março, edição especial de aniversário, trará uma matéria sobre comportamento do consumidor brasileiro, com vários desdobramentos focados na Geração Z. Fique de olho. E o SXSW tem uma extensa programação dedicada a transformações sociais e ao comportamento das gerações Millenials e Z. Acompanhe.

*Jacques Meir é Diretor de Conhecimento e Plataformas de Conteúdo do Grupo Padrão.






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS