Primeira reserva de proteção de elefantes será brasileira

Em vez de passear de elefante em outro país, ajude a construir um local seguro para esses animais aqui mesmo, em terras Tupiniquins

Por: - 4 anos atrás

É comum você conferir imagens de pessoas que passearam com elefantes quando elas vão à Tailândia. Parece algo divertido, bonito, emocionante, prazeroso. Mas esses sentimentos são apenas dos seres humanos, não dos animais.

A ONG Elephant Nature Park, referência no assunto na Tailândia, conta que para os elefantes chegarem ao ponto de carregar pessoas em suas costas, eles passam por um verdadeiro processo de tortura quando ainda filhotes.

Pensando em como mudar essa situação, o primeiro santuário de elefantes da América Latina está prestes a se tornar realidade. Uma antiga fazenda de gado de mil hectares, há cerca de 40 km do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães deverá abrigar o projeto, que está em campanha de crowdfunding no Kikante.

“A troco de algumas risadas e sorrisos, elefantes em cativeiro têm sua saúde e felicidade sacrificadas. Milhares desses animais extremamente inteligentes e sociáveis pagam um preço alto demais, vivendo uma vida sem nenhuma semelhança com as vidas que teriam na natureza”, explica a organização no site da campanha.

 

 

A ideia é que o santuário possa abrigar e tratar animais apreendidos e recolhidos, vítimas de maus tratos, tráfico ou usados em espetáculos circenses. “Felizmente, boa parte do mundo está abrindo os olhos para o fato de que os cativeiros atuais não atendem às necessidade físicas e psicológicas mais básicas dos elefantes”, dizem os membros da ONG Santuário de Elefantes Brasil, responsável pelo projeto.

A exibição de animais em circos é proibida em 11 estados brasileiros e em 50 cidades. A prática também é ilegal em El Salvador, Equador, Paraguai, Bolívia e Argentina. Além da área cercada equivalente a mil campos de futebol, o Santuário contará também com um galpão para servir de centro veterinário.

Como a campanha funciona por meio de crowdfunding, você pode ajudar a tirá-la do papel. Entre no site, saiba mais sobre a campanha e compartilhe!

 

*Com informações dos portais Hypeness e Elephant Nature Park.