Você busca uma alimentação saudável?

Com que frequência você busca e encontra alimentos saudáveis e com informações nutricionais claras?

Shutterstock

A Mintel realizou uma pesquisa para falar sobre a busca por produtos saudáveis. O estudo identificou novas demandas para bebidas e produtos alimentícios que promovem benefícios nutricionais. Uma dessas demandas vem da população que está envelhecendo.

Outras exigências decorrem de problemas de saúde, como hipertensão e diabetes. O estudo também revela que quase dois em cinco brasileiros concordam que, devido ao estilo de vida agitado, fica mais difícil comer de forma saudável.

“O envelhecimento da população cria novas demandas, e a prevalência de problemas de saúde como hipertensão e diabetes faz os brasileiros buscarem produtos com menos açúcar e sódio. A falta de tempo não precisa ser um obstáculo para comer de forma saudável. A indústria pode criar mais opções de produtos saudáveis on-the-go, contribuindo para a melhoria dos hábitos alimentares do brasileiro, que está sempre atarefado”, comenta Naira Sato, especialista das categorias de Alimentação e Bebida, da Mintel.

“Conjuntamente, as marcas podem oferecer opções de açúcar mais saudáveis, como o mascavo e o demerara, que são menos processados e retêm a maior parte dos nutrientes originais da cana-de-açúcar, em comparação com a versão branca refinada. Assim, é possível falar de saúde não somente por meio de calorias, mas por nutrientes e naturalidade”, explica.

A pesquisa Mintel também revela que os brasileiros, cada vez mais, adotam a internet como fonte de conhecimento sobre saúde. Outro fato a ressaltar é a faixa etária entre 35 e 44 também segue a mesma tendência.

A Mintel revela que 30% dos consumidores concordam com a afirmação: “Eu gostaria de ver uma maior variedade de produtos saudáveis no mercado”. Por exemplo, eles gostariam de ter acesso não apenas a itens light e orgânico, mas também a alimentos sem glúten, sem lactose e com colágeno.

Alguns consumidores parecem, ainda, pouco satisfeitos com a comunicação das embalagens, já que 66% deles afirmam que é difícil entender a informação nutricional na embalagem dos produtos.

“Os consumidores têm dificuldade em compreender a informação nutricional nas embalagens de alimentos e bebidas. Se as informações nutricionais passassem para a parte da frente da embalagem do produto, de uma forma clara e chamativa, poderiam influenciar as decisões de compra dos consumidores. Essa mudança pode ser altamente benéfica para as marcas já que muitos consumidores tendem a comprar produtos que têm benefícios nutricionais adicionais”, conclui Naira Sato.

Confira no infográfico abaixo as informações da pesquisa Mintel.

Infográfico: Fernanda Pelinzon - Grupo Padrão

Infográfico: Fernanda Pelinzon – Grupo Padrão

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS