Incertezas prejudicam economia, diz CEO do Itaú

Como representantes de instituições financeiras enxergam o atual momento político e econômico do país

Shutterstock

Segundo agência Reuters, o presidente do Itaú Unibanco, Roberto Setubal, disse, durante evento organizado pela Liga de Mercado Financeiro da Faculdade de Economia e Administração da USP, no dia 15, que a habilidade do governo de tirar o Brasil da recessão foi severamente dificultada por anos de decisões equivocadas de política econômica e investigações de corrupção.

“No Brasil, tudo é possível, mas nada é provável, levando a incerteza a níveis intoleráveis e prejudicando a economia”, disse Setubal. “Este governo foi eleito para manter o status quo, não mudá-lo.”

De acordo com a agência, para Setubal, os brasileiros precisam evitar eleger líderes “messiânicos”, que se apresentem como “um salvador da pátria” para resolver os problemas do país sem um plano realista.

A Reuters afirma que o presidente da unidade brasileira do Credit Suisse, José Olympio Pereira, disse que o pessimismo atual é “a pior que eu já vi em meus 30 anos de carreira”.

Ainda segundo a agência, José Olympio enfatizou a necessidade de se construir lideranças políticas capazes de educar a população sobre a necessidade de reformas na Previdência, nas leis trabalhistas e na área tributária para tornar as contas públicas sustentáveis no longo prazo.

 

*Via agência Reuters.






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS