A Amazon quer driblar a morte

A empresa começou a trabalhar na adaptação de um curta com foco na adaptação do corpo humano

Divulgação True Skin

Durante a história da humanidade, desenvolvemos ferramentas, tecnologias, funcionalidades e estratégias voltadas para a evolução da saúde, da qualidade de vida, da eficiência etc. De certa forma, adiamos a única certeza de cada ser humano: a morte.

Hoje, nos incomodamos profundamente com o fato de não haver uma cura para o câncer, porque somos, como humanidade, vítimas frequentes desse mal que vence, em muitos casos, a inteligência do único animal racional existente na Terra.

É inegável, porém, que o ser humano sobrevive focado no objetivo de não morrer – ou de não morrer tão cedo. A Amazon – uma das empresas mais conectadas na evolução da sociedade, do consumo e da tecnologia – sabe bem disso e, não à toa, tem grandes objetivos voltados para a inexistência da morte.

True Skin

O título acima remete a um curta feito inicialmente pelo cineasta Stephan Zlotescu, no qual a Warner Bros. apostou e sobre o qual a empresa manteve os direitos até agora. A ideia do filme é que seja possível driblar a morte por meio da atualização e evolução do corpo humano a partir do uso de itens cibernéticos e da possibilidade de fazer back-ups da própria mente.

O fato, porém, é que a Amazon Studios tem grandes planos para True Skin e começou a desenvolver uma série original a partir do curta. Zlotescu foi convidado para dirigir o piloto e produzir a exibição junto à produtora Gound Control, de Scott Glassgold. A Amazon, porém, está em busca de outro autor – diferente de Zlotescu – para fazer a adaptação do curta para a série.

O curta

O original de True Skin pode ser usado como prólogo da série. Vale a pena conferir.

TRUE SKIN from H1 on Vimeo.






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS