Empresas familiares devem investir mais

A maioria dos empreendimentos aplicará em negócio atual, indica pesquisa da KPMG

Fotos: Divulgação

Praticamente 70% das empresas familiares brasileiras têm a intenção de fazer investimentos nos próximos seis meses, aponta um estudo divulgado pela KPMG no Brasil.

Leia também:
Maioria das MPEs vê piora nos negócios 

De acordo com o levantamento ?Retratos de família – um panorama do histórico e perspectivas futuras das empresas familiares brasileiras?, realizado com o apoio do do ACI Institute e do Board Leadership Center, desse total, 67% pretendem empregá-los no negócio atual, 20% investirão em expansão nacional ou internacional e 12% buscarão a diversificação de projetos.

Os dados de cerca de 200 entrevistados distribuídos por 16 estados brasileiros mostram que 42% dos participantes afirmaram estar confiantes em relação à própria situação econômica nos próximos seis meses. Segundo a entidade, a pesquisa nos mostrou que as principais preocupações dos representantes das empresas familiares são as mesmas do restante do empresariado nacional: a incerteza política e a redução da lucratividade e do faturamento.

Leia também:
Loja cheia, caixa próspero  

“Porém, pontos fortes como tomada de decisões rápida e flexível, visão de longo prazo e foco no core business, que são características desse tipo de empresa, fazem com que eles tenham boas expectativas e pensem em aumentar os investimentos nos próximos meses?, explicou em nota o sócio da KPMG no Brasil, Sebastian Soares.

Leia também:
Pessimismo atinge CEOs brasileiros 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS