Conheça esta novidade: cervejas colaborativas

Quando duas cervejarias se unem em busca de uma mesma receita, o resultado pode ser surpreendente

William Perugini/ Shutterstock

Você já ouviu falar em cerveja colaborativa? Pois bem, a novidade tem tudo para cair no gosto do brasileiro. Trata-se de rótulos criados em parceria entre duas ou mais microcervejarias. Geralmente, são edições limitadas e produzidas em pequena escala.

“As cervejarias se unem – por intermédio de convite ou interesse em comum – para discutir o estilo e a receita, e a produzem juntas. O local é escolhido em conjunto ou, na grande maioria dos casos, na fábrica da cervejaria que efetuou o convite”, explica o cervejeiro Alexandre Moraes, proprietário da cervejaria Cevada Pura.

Ele explica que o processo é o mesmo de uma produção padrão de cerveja, com o diferencial de que existe outra(s) cervejarias a discutir e elaborar a receita que será produzida, cada um colaborando com suas ideias, pensamentos e expertises.

A Cevada Pura atua há 15 anos em Piracicaba, está lançando seu 4º rótulo colaborativo em parceria com a espanhola Cerveza Domus. Sua primeira parceria foi com a americana Cigar City e ambas criaram dois rótulos: American IPA e Brown Ale Café e Cacau. Esses últimos, começaram a ser produzidos em larga escala. No início de 2016, a Cigar City foi à Portugal se reunir com a microcervejaria LETRA, e fizeram uma edição comemorativa da NANQUIM.

São poucas as cervejarias que produzem rótulos colaborativos e é menor ainda as que fazem parceria internacionais, como é o caso da Cevada Pura.

Cervejas artesanais

Definitivamente, as cervejas artesanais caíram no gosto do brasileiro que, com cada vez mais opções de rótulos, tende a experimentar cada vez mais. “Experimentando mais, acaba criando suas preferências, e sai em busca delas. Como as grandes marcas cerveja acabam por produzir um mesmo estilo de cerveja, sem muitas características sensoriais, e todas muito parecidas, o consumidor vê nas artesanais sua alternativa para poder consumir algo que ele realmente gosta”, justifica Moraes.

Para ele, a melhor maneira de se encontrar uma boa cerveja está justamente nesse processo: variar, experimentar e identificar qual(is) estilo(s) mais agradam. “Também ajuda frequentar as lojas especializadas, que sempre trazem as novidades e têm profissionais treinados a ajudar na escolha”, aconselha.

Por fim, ao comprar nos supermercados, especialmente promoções, o cervejeiro aconselha ficar atento às datas de validade e à maneira com que as cervejas estão armazenadas (muita exposição à luz pode prejudicar a cerveja).

“Os Clubes de Cerveja por assinatura são também uma maneira interessante de conhecer novas e boas cervejas. E, procure as cervejarias mais próximas de você e da sua cidade. Gosto, pode se discutir, mas uma cerveja fresca, cuja fábrica está bem próxima, tende a estar com qualidade superior às que precisaram viajar por muito tempo para chegar até você”, conclui Alexandre Moraes.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS