Lojas de shoppings podem não abrir no Domingo

Associação de shopping centers sugere ponto facultativo durante votação do impeachment

Com o agravamento da crise política e econômica no país, muitas empresas fecharam as portas ou entraram em recuperação judicial. Enquanto milhões de brasileiros perderam seus empregos, os efeitos colaterais foram inevitáveis tanto na indústria quanto no setor de serviços.

Em apoio ao descontentamento geral com a situação que se instalou no Brasil, a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), que representa mais de 300 shopping centers filiados, sugeriu que o funcionamento das lojas de shoppings seja facultativo no próximo domingo, dia 17 de abril, quando será votado o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados.

Em nota, a associação esclareceu que a ação “atende a diversos pedidos” e tem como objetivo “autorizar os lojistas que, a seu critério, desejarem liberar seus funcionários para participar desse momento histórico da democracia brasileira”. A iniciativa conta inclusive com a validação da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) e da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Apesar das expectativas de queda no PIB, altas taxas de inflação e juros, a indústria de shopping centers continua em desenvolvimento no Brasil, segundo o Censo Abrasce 2015-2016, levantamento realizado pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), em parceria com a GEU (Grupo de Estudos Urbanos). “O comércio de varejo responde por 13% do PIB país, além de ser o que mais gera empregos formais do setor privado e está em franca expansão”, comentou Glauco Humai, presidente da Abrasce em entrevista à NOVAREJO.






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS