Saiba como fazer seu orçamento pessoal render

Confira algumas dicas que podem te ajudar a fazer o orçamento render, sem precisar recorrer a uma busca por renda extra

Shutterstock

Colocar o dinheiro para trabalhar a seu favor é a melhor forma de fazer seu orçamento pessoal render. Dicas, como pesquisar preços, controlar as despesas e mudar alguns dos seus hábitos de consumo, podem te ajudar a aproveitar ao máximo os rendimentos, sem precisar buscar uma renda extra para cobrir os gastos.

Confira abaixo o que você precisa fazer para ver o seu dinheiro render mais.

1. Analise seu orçamento pessoal

Você ganha mais do que gasta? Para fazer seu orçamento pessoal render, essa deve ser sua primeira meta. Para isso, é importante fazer uma análise cuidadosa de todas as suas receitas e despesas. Se o que você ganha não supera aquilo que gasta, é hora de ver onde é possível cortar ou reduzir gastos.

Comece pelas despesas que não são essenciais, relacionadas ao estilo de vida, como bares/restaurantes, lazer, cuidados pessoais e compras. Além de cortar gastos, é importante controlar aquilo que gasta para não desembolsar mais dinheiro do que pode.

2. Pesquise preços

Comprar por impulso, sem pesquisar preços, pode sair caro. Evite perder dinheiro, adquira o hábito de consultar sites como Buscapé Google Shopping. A variação de preço de uma loja para outra pode chegar a 50%. Dependendo do produto, considere ainda comprar um item seminovo ou usado — a diferença costuma valer a pena.

3. Consuma de forma consciente

Tenha em mente que você deve adquirir apenas aquilo que precisa e não tudo o que quer. Com esse pensamento, você evita compras por impulso e investe o dinheiro naquilo que realmente é importante para você.

4. Tenha uma reserva financeira

Imprevistos acontecem. Para que essas despesas que não foram previstas não comprometam seu orçamento ou, pior, o levem a contrair dívidas, ter um fundo de emergência é essencial.

O ideal é destinar 15% da sua renda líquida para compor essa reserva, que deve ter valor equivalente a, pelo menos, três meses de salário líquido. Como o valor será usado para arcar com alguma emergência, coloque a quantia em uma aplicação que ofereça liquidez, como a poupança.

5. Fuja dos parcelamentos

Dividir as compras em várias parcelas pode dar a falsa ilusão de que você pode arcar com aquela compra quando, na verdade, ela está além das suas possibilidades financeiras. Se deseja muito comprar algo, guarde todo mês uma quantia destinada para esse fim. Assim, você pode comprar o produto à vista e, de quebra, negociar um desconto de 5% a 10% com o vendedor.

 

*Via GuiaBolso.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS