A educação financeira pode estar ao alcance de todos?

Ainda pouco conhecida, começa segunda a Semana Nacional de Educação Financeira, que trará várias iniciativas em prol de conscientizar o cidadão

Por: - 4 anos atrás

Tom Wang/ Shutterstock

A vida financeira das pessoas depende, claro, da situação macroeconômica do país. Com o desemprego crescente que vivemos, é natural que haja inadimplência no Brasil, embora com as mudanças de governo as pessoas estejam cheias de esperança. Além disso, uma boa parte das dívidas poderiam ser evitadas se houvesse um investimento maior em Educação Financeira, que possibilitasse a tomada de escolhas mais acertadas.

Uma importante parceria de várias entidades governamentais e organizações da sociedade civil até já lançou uma iniciativa importante, a Estratégia Nacional de Educação Financeira (Enef). Trata-se de uma política de Estado de caráter permanente, criada pelo Decreto Federal 7.397/2010, com ações multissetoriais gratuitas. A ideia é ensinar a população a tomar decisões financeiras mais conscientes.

No entanto, a iniciativa ainda é pouco conhecida e seu alcance não é tão amplo. Há, por exemplo, um site com dicas, testes, simuladores, vídeos e outros, para ajudar ao cidadão a entender melhor sobre finanças.

Justamente para divulgar a Enef, o Comitê Nacional de Educação Financeira (CONEF) promove, a partir de segunda-feira (16), a 3ª Semana Nacional de Educação Financeira. Até o dia 22, serão realizadas diversas iniciativas pelo Brasil, a fim de sensibilizar o cidadão a fazer bom uso do dinheiro. Na programação, seminários e eventos em escolas em várias cidades do país, além de ações online.

A programação completa pode ser conferida aqui.

O Conef é composto por 08 órgãos e entidades governamentais e quatro organizações da sociedade civil que se articularam para criar a Enef. São eles: Banco Central; Comissão de Valores Mobiliários (CVM); Superintendência de Previdência Complementar (Previc); Superintendência de Seguros Privados (Susep); Ministério da Fazenda; Ministério da Educação; Ministério do Trabalho e da Previdência Social; Ministério da Justiça; Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima); BM&FBOVESPA S.A – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros; Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNSeg); e Federação Brasileira de Bancos (Febraban). O Banco Central está presidindo o CONEF neste ano.

A abertura da Semana ENEF no dia 16 de maio será transmitida ao vivo neste link.