Seis dicas para facilitar a vida dos pets no frio

Você sabia que pets possuem temperatura corporal mais alta do que a de uma pessoa? Tenha cuidado com eles!

Por: - 3 anos atrás

Joop Snijder Photography/Shutterstock

Sair de casa no frio, para cães e gatos, pode ser um tanto mais dolorido do que para nós. Por isso, pode trazer alguns riscos para a saúde. Neste final de semana, de acordo com a previsão do tempo – que nem sempre acerta – as temperaturas podem cair. O tempo já está seco – aposto que você está com tosse ou conhece alguém que passa o dia fazendo “cof cof”.

Segundo Karen Neves, especialista em pets e proprietária do pet shop online Zen Animal, os cães e gatos nessa época do ano são tão suscetíveis ao frio como os humanos. Nesse contexto, ela dá algumas dicas.

1. Tosas. Se o cão estiver tosado, por exemplo, é essencial que o tutor o proteja com alguma roupinha ou agasalho. Ela ressalta ainda que o ideal é evitar tosas muito curtas nessa época do ano.

2. Choque térmico. Não é aconselhável tirar o seu cão da caminha ou cobertor e levá-lo direto para passear. Se ele vive dentro de casa, uma boa dica é dar uma volta dentro da própria casa e passar por cômodos mais gelados, como a cozinha, antes de enfrentar o frio que vem da rua.

3. Fora de casa. Cães que vivem em quintal precisam também de uma atenção especial, jamais deixe-o sem abrigo nos dias mais frios. O ideal é deixar uma caminha, cobertor ou algo quentinho onde ele possa deitar e se aquecer.

4. Vacinas. Verifique se a vacinação está em dia. Caso esteja acostumado a levar o seu pet em lugares com outros animais, lembre-se que os veterinários recomendam vaciná-lo anualmente para deixá-lo mais resistente às doenças respiratórias. Os sintomas mais comuns de gripes e resfriados nos pets são os espirros, falta de apetite, nariz escorrendo e apatia. Vale lembrar que a gripe humana não passa para o seu gatinho ou cão, então não se preocupe com isso.

5. Roupas. Invista em roupinhas quentes. Agasalhos, mantas e cobertores são sempre ótimos aliados contra o frio, principalmente para as regiões mais frias do Brasil, onde a temperatura cai bastante durante a noite. É recomendado acostumar os animais desde pequenos com os acessórios e lembrar que os filhotes e os cães idosos sentem mais frio e possuem imunidade mais baixa.

6. Comportamento. Uma dica muito útil é reparar no comportamento do seu animal de estimação. Eles podem não utilizar palavras para nos dizer algo, mas o seu estado anímico e a linguagem corporal são os principais meios de eles nos mostrarem do que precisam. Se o seu cãozinho está com frio, por exemplo, ele provavelmente irá se esconder em um cantinho mais quente, bem encolhido para proteger o focinho do tempo gelado. Alguns chegam até a tremer nesses casos.