O consumo poderá retomar todo seu potencial no país?

Veja a análise de Jan Piotrowski (The Economist) sobre economia e consumo no Brasil

Por: - 3 anos atrás

Shutterstock

O Recover Money, evento realizado pela revista Consumidor Moderno, no último dia 11 de Maio, contou com a participação de Jan Piotrowski, correspondente da The Economist Newspaper no Brasil. Na ocasião a CM conversou com o jornalista sobre o atual momento econômico do Brasil.

CM – O Brasil é um país com um grande volume de consumidores. Muitas vezes essa massa econômica contribui para a alta da inadimplência no Brasil. Como você analisa a relação do brasileiro com o dinheiro?

Jan Piotrowski – Evidente que nas duas últimas décadas o brasileiro descobriu o consumo e houve melhores condições para ele gastar seu dinheiro, sobretudo, com coisas que fogem do básico. Na minha visão o brasileiro gosta disso, ele gosta de novidades. É um povo criativo e soube aproveitar este período. Neste momento, vejo que ele está aprendendo a cuidar um pouco mais do seu dinheiro. Isso é normal e acontece em países que passam por momentos cíclicos na sua economia.

CM – No caso do Brasil, isso impõe uma mudança radical no comportamento do consumidor?

Jan Piotrowski – Sim! O tamanho da desaceleração econômica no Brasil impõe uma mudança bastante expressiva no comportamento consumidor. Mas nada de extraordinário. Vejo que o consumidor brasileiro está se comportando como outros consumidores no mundo que passaram por circunstâncias semelhantes.

CM – Passado essa fase de ajustes, onde o novo governo deverá tomar medidas necessárias para a retomada da confiança na economia, você acredita que o brasileiro terá um comportamento distinto em relação ao consumo?

Jan Piotrowski – Crises graves normalmente provocam uma mudança no comportamento do consumidor, ao menos em uma geração. Os jovens brasileiros, que hoje estão vivendo uma queda de renda e desemprego, provavelmente irão se comportar de uma maneira diferente no futuro, quando se depararem com novos desafios econômicos. É difícil dizer se haverá uma mudança radical. A única certeza agora é que o consumo não irá retomar todo seu potencial antes de uma reforma política.

CM – Quais setores estão sendo mais impactados por essa crise econômica, na sua opinião?

Jan Piotrowski  – Grande parte do mercado brasileiro está sofrendo com essa crise. Há poucas indústrias brasileiras que são competitivas no âmbito mundial. Se pensarmos que 70% do PIB brasileiro é composto de serviços, e estes são os primeiros setores que o consumidor corta em momentos de crise, o impacto é gigante para a economia. Além disso, anos atrás, muitos brasileiros consumirão produtos como carros, eletrodomésticos e linha branca, produtos que não serão adquiridos novamente no curto/médio prazo. Para essas indústrias certamente haverá uma maior retração.

CM – Podemos ser otimistas diante deste cenário?

Jan Piotrowski – Sim. Acho que neste momento o brasileiro está escutando e discutindo muito mais. Ele quer entender o que está acontecendo e o que poderá acontecer daqui pra frente com seu emprego, com sua renda e com seu consumo. Isso é bom para o país.

CM – A Internet tem contribuído para isso…

Jan Piotrowski – Sem dúvida! O brasileiro abraçou com entusiasmo a internet e as redes sociais. É uma das maiores populações ativas no ambiente digital. Mas não só o diálogo nestes canais tem contribuído para sua evolução como cidadão. A disseminação da informação pela rede também estimula essa busca por conhecimento, que, consequentemente, estimula a cidadania.