Economia comportamental: como ela pode ajudar o país a superar a crise

A especialista no tema, Flávia Ávila, aponta as contribuições dessa área de estudos para o crescimento sustentável da economia no Brasil

shutterstock

A economia comportamental é área de estudo relacionada a finanças comportamentais. São inúmeros os viés que compõem esse campo de estudos. Flavia Ávila, fundadora e CEO da INBEHAVIOR LAB, uma das maiores especialistas brasileiras nesta disciplina, fala um pouco da importância deste conceito para a sociedade e como ele pode contribuir para o crescimento sustentável da economia.

 

CM – Como você analisa o comportamento da nova geração de consumidores? Ela corre o risco de ser mais endividada do que as gerações passadas?

Flávia Ávila – Sobre endividamento da nova geração, além da importância da educação financeira, temos que criar hábitos que “amarrem” nossas mãos para não contrairmos uma dívida.

CM – Qual seria o caminho? A solução estaria dentro de casa, com a família, nas instituições de ensino, ou até mesmo por meio de mecanismos onde indústrias e marcas ajudariam na construção consciente do consumo?

Flávia Ávila – Acho que está em todas essas esferas. Com certeza há uma carência de educação financeira nas famílias. Mas também políticas publicas e comprometimento dos órgãos e instituições financeiras na manutenção de práticas educacionais e sustentáveis para a economia. Nesse ponto temos que entender a importância da aplicação da economia comportamental para a sociedade. Ela cria essa inteligência para a criação de hábitos e normas corretas do uso do dinheiro.

CM – A sociedade tem se atentado para esses aspectos? A economia comportamental pode ajudar o Brasil a superar uma crise, por exemplo?

Flávia Ávila – Acredito que sim. O relatório do Banco Mundial de 2015 foi exclusivamente sobre economia comportamental. O interessante neste estudo é o capítulo que fala dos vieses dos economistas em desenvolvimento, de como eles tiveram dificuldades de adotar a economia comportamental . Ou seja, a importância da economia comportamental começa com uma mudança de mindset. Acho que o Brasil ainda carece de aplicações e estudos nessa área. No momento que a economia comportamental fizer parte das estratégias e práticas de diversos setores da nossa sociedade, sem dúvida, todos ganharão com isso.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS