Mulher, use um aplicativo para se proteger da cultura do estupro

Enquanto você lê esse texto, uma mulher está sendo estuprada. Daqui a 11 minutos, esse número aumentará. A Microsoft criou uma possível saída para isso

Lolostock/Shutterstock

 

Nos últimos dias, o estupro coletivo de uma jovem de 16 anos, no Rio de Janeiro, causou indignação nacional e levantou diversos debates, principalmente nas redes sociais, sobre a cultura do estupro no Brasil. Movimentos feministas e sociais tem cada vez mais força com apoio da tecnologia, uma característica extremamente benéfica da internet. Assim, até mesmo empresas acabam se envolvendo nesse tipo de ação, já que os dados são alarmantes – segundo informações do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a cada 11 minutos uma mulher é estuprada no Brasil.
Com o objetivo de contribuir no combate à violência contra a mulher, a Microsoft, em parceria com o Instituto Eldorado, desenvolveu o aplicativo Assédio Zero, que ajuda mulheres a identificar lugares com maior índice de assédio e risco de violência.

Quem acessa o aplicativo pode posicionar o marcador de localização no mapa e selecionar o tipo de agressão – física ou verbal. Os dados coletados ficam armazenados na plataforma de nuvem da Microsoft. Desta maneira, outras mulheres terão acesso ao mapa de calor onde é possível identificar facilmente os pontos mais violentos de cada região. Além disso, elas podem receber mensagens e avisos sobre os ataques em tempo real, um tipo de informação que pode ser bastante útil para ações de segurança pública.

Anteriormente, a empresa utilizou a mesma base tecnológica para o aplicativo Espaço Livre, que traça o “mapa da homofobia” a partir de denúncias de agressões que ferem os direitos de ir e vir da comunidade LGBT. O Espaço Livre foi desenvolvido em um hackaton durante a Virada Digital, uma colaboração entre a Microsoft, o site Catraca Livre, o Instituto Eldorado e a empresa de serviços de TI Comparex, ocorrida na Virada Cultural 2016 de São Paulo.

O Assédio Livre já está disponível para Android e em breve também funcionará nos sistemas iOS e Windows Phone.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS