Brasileiro está mais consciente em relação aos gastos com viagens

Pesquisa revela que brasileiro pretende cortar custos com viagens. Entretanto, 64% dos pesquisados pretendem visitar algum destino entre junho e setembro

Por: - 3 anos atrás

Shutterstock

Mais da metade dos brasileiros (66%) afirma que viagens é uma das categorias em que pretende cortar custos. Ainda assim, 64% pretendem visitar algum destino entre junho e setembro deste ano, mostra pesquisa Ipsos conduzida a pedido da Europ Assistance com oito países, incluindo o Brasil.

Viagens nacionais devem ser a opção preferida de 47% dos entrevistados brasileiros. Já para os que desejam viajar para o exterior a opção preferida é os Estados Unidos. A Ipsos realizou 750 entrevistas no Brasil por meio de painel online entre março e maio de 2016. Os demais países pesquisados foram França, Alemanha, Itália, Espanha, Bélgica, Áustria e Estados Unidos. A margem de erro é de 3.6 pontos percentuais.

Apesar da retração econômica e do câmbio desvalorizado, o percentual de brasileiros que pretende viajar (64%) é maior que o de entrevistados europeus (54%) e americanos (61%). Contudo, o orçamento médio dos brasileiros é o menor entre todos os países pesquisados: R$ 1.212 (€335, câmbio de 30.05.2016) é o gasto médio dos brasileiros para viagens no período, contra €2.247 planejado, em média, pelos europeus.

Ao considerar o seu destino de viagem, os brasileiros se mostraram os mais preocupados com a presença do Zika vírus entre os oito países analisados. De acordo com o levantamento Ipsos, 54% dos entrevistados no Brasil consideram o risco de infecção pela doença um elemento “essencial” ao escolher um destino.

Menos preocupados com o vírus estão os americanos e europeus: 20% e 25%, respectivamente, afirmaram considerar o risco de infecção na hora de planejar a viagem de férias. A Espanha, contudo, se mostra mais preocupada, com um terço dos pesquisados (34%) atento à doença.  

Outro grande temor dos viajantes nos próximos meses é quanto a ataques terroristas. Para brasileiros e norte-americanos, a França é um destino a ser evitado. Para os europeus, mais sensíveis a esse risco, a Turquia aparece como o destino com maior risco de ataques.  

Brasileiros são os que têm férias mais longas

Os brasileiros são os que pretendem tirar mais tempo de férias. A média brasileira, de acordo com o estudo Ipsos, é de 2.4 semanas – contra 2.1 semanas para os Europeus e 1.6 para os norte-americanos. Os brasileiros também estão entre os que mais se mantêm conectados às redes sociais durante as férias. Enquanto na Europa, em média, 39% afirmam que devem manter o seu uso de redes sociais, no Brasil 65% dos entrevistados descartam a possibilidade de se desligar das redes sociais. Nos Estados Unidos, o índice é de 60%.