Economia para o resto da vida: saiba como

Poupar durante a vida profissional ativa ajuda o contribuinte a aproveitar melhor a aposentadoria. Veja dicas de economia

Por: - 3 anos atrás

racorn/ Shutterstock

Com uma expectativa de vida cada vez mais alta – próxima dos 75 anos, segundo dados do IBGE, é realmente necessário falar sobre economia. Não só sobre a situação do país – macroeconomia – mas sobre aquela mais pessoal, aquela que irá garantir o futuro de cada um. Exatamente: a aposentadoria.

Justamente nesse momento o país está debatendo a possibilidade de aumentar a idade média para se aposentar e isso pode não ser algo tão ruim. Vamos explicar: se a expectativa de vida é de 75 anos, estamos falando de pelo menos 10 anos para viver com um salário de aposentado. Se a pessoa se aposentar aos 55 (como é possível ainda acontecer) e viver até os 95, são 40 anos vivendo de um salário que não é dos melhores. Na previdência social, o salário máximo hoje chega a pouco mais de R$ 5 mil.

Nessa etapa da vida, os gastos também ficam mais altos, especialmente quando o assunto é saúde. Os custos com plano ficam mais altos e as despesas com remédios aumenta. Assim, quem depender somente do INSS provavelmente verá seu padrão de vida cair. Para evitar essa situação, é preciso se planejar desde cedo para uma aposentadoria segura e tranquila. Ou seja, é preciso falar de economia.

Segundo o professor da FGV e palestrante nas áreas de Finanças, Governança e Gestão, Andriei José Beber, o ideal é que se economize, no mínimo, 20% dos seus rendimentos a vida inteira, destinando essa “poupança” para quando chegar a hora de encerrar o trabalho. “Caso esse montante não seja possível em alguns períodos, com os filhos todos na faculdade, por exemplo, recomenda-se guardar pelo menos 10% ao mês para esse fundo de aposentadoria, porém não esquecendo de compensar nos períodos seguintes”, aponta.

Ainda de acordo com o especialista, para conseguir atingir esse objetivo, a pessoa não precisa necessariamente se privar de muito, basta organizar o orçamento doméstico e se planejar. “Por exemplo: é preciso jantar fora toda sexta-feira? Não dá para celebrar a chegada do fim de semana como uma pizza em casa? Com certeza, você economizará um pouco com cada pequena ação. No final do mês, verá a diferença”, sugere Beber.

Outra dica valiosa do professor para o sucesso desse processo: envolva a família inteira neste projeto de longo prazo; faça-os entender que a economia para o futuro trará bons resultados a todos. Evite o desperdício. Coloque no papel quais são todas as suas despesas e da casa e veja onde é possível  economizar.