Quem usa mais as redes sociais: solteiros ou casados?

Pesquisa da Ipsos revela o perfil de quem mais usa rede social: solteiros ou casados. Saiba também qual é a região onde eles mais usam as redes

Por: - 3 anos atrás

Bacho/ Shutterstock

Quem fica mais tempo nas redes sociais? Solteiros ou casados? A Ipsos realizou um levantamento com 38.281 pessoas, em nove regiões metropolitanas do Brasil e descobriu que os solteiros navegam mais por sites como Facebook, Instagram e Twitter. Cerca de 50% deles estão em redes sociais, enquanto 40% dos casados usam essas ferramentas.

“Em todas as regiões analisadas, os internautas solteiros superam os comprometidos no uso de redes sociais. Aqueles sem um relacionamento sério usam esses espaços de maneira mais acentuada numa forma de fortalecer relações com sua rede de amigos e conhecidos, enquanto os comprometidos fazem uso mais comedido,” afirma Diego Oliveira, diretor de Ipsos Connect.

De acordo com a pesquisa, Salvador é a cidade com a maior concentração de desimpetidos que acessam plataformas como Facebook e Twitter. Seis em cada dez pessoas conectadas da cidade se declaram solteiras, o maior índice entre as nove regiões pesquisadas. São Paulo é a cidade com a menor concentração – apenas 46% dos entrevistados que utilizam redes sociais na capital paulista estão desimpedidos.

Já em Curitiba, a dinâmica se inverte: metade dos entrevistados que acessam redes sociais na cidade são comprometidos, comparado com 41% de entrevistados solteiros que utilizam sites como Facebook e Twitter. A região metropolitana com o menor número de pesquisados comprometidos que acessam as redes é Belo Horizonte: menos de um terço (31%) das pessoas que estão em um relacionamento sério declaram utilizar tais sites.

União entre o mesmo sexo e filhos

Os solteiros são mais abertos a aceitar o casamento entre pessoas do mesmo sexo. De acordo com a pesquisa Ipsos, 38% dos solteiros são favoráveis, contra 30% entre os comprometidos.

Quando o assunto é filhos, quatro em cada dez pesquisados comprometidos afirmam que um relacionamento só está completo quando se tem filhos. Já entre os solteiros, apenas um terço concorda com tal afirmação.