Se você pudesse ter apenas um app no celular, qual seria?

A Opinion Box fez essa pergunta aos brasileiros e revelou qual é o app preferido. Consegue adivinhar qual é o escolhido?

Eduardo Lopez/ Shutterstock

E se você descobrisse hoje que, a partir de amanhã, só teria direito a um aplicativo no celular? Ou que você até poderia ter outros, mas pagando por eles? Claro que ninguém gostaria de ter um único aplicativo no celular, já que cada vez mais os apps estão resolvendo a vida dos consumidores em vários aspectos. Mas a Opinion Box, (www.opinionbox.com), empresa que oferece soluções de pesquisa de mercado online, em parceria com o portal Mobile Time (www.mobiletime.com.br), fizeram essa pergunta aos brasileiros para elaborarem o “Panorama Mobile Time/Opinion Box – Uso de apps no Brasil”.

Adivinhem qual foi a resposta? O WhatsApp, claro. Não foi à toa que todo mundo ficou louco quando o app foi bloqueado pela justiça. “O Whatsapp tem assumido para os brasileiros o papel de principal forma de comunicação rápida com as pessoas. O brasileiro é um povo que gosta de se comunicar, comentar, compartilhar e expressar opinião e o Whatsapp permite que faça isso com um ou mais pessoas através de grupos”, explica Felipe Schepers, COO do Opinion Box.

Segundo o executivo, o brasileiro adora uma rede social. E o WhatsApp está justamente sendo tratado como uma. “Afinal, tem o grupo da família, o grupo da empresa, o grupo do time de futebol que torce, e por aí vai”, comenta Schepers.

Ou seja, se pudessem ter apenas um app instalado em seus aparelhos, 48% dos entrevistados disseram que seria o WhatsApp. O Facebook mantém a segunda posição, em proporção muito menor, citado por 9,6% dos internautas brasileiros.  Em seguida, na lista, vêm Instagram, Facebook Messenger e YouTube. A principal novidade no ranking dos 10 apps favoritos dos brasileiros foi a entrada do Snapchat na 10ª posição. A preferência pelo Snapchat predomina entre os mais jovens.

Ah, e sobre pagar? Os brasileiros até compram aplicativos, mas de modo geral, eles não gostam.  “É interessante notar a variedade das categorias dos apps pagos mais mencionados. Há desde aplicativos de edição de imagens até players de música, passando por uma calculadora de matemática ?nanceira, um launcher e um app de karaokê. O campeão foi o Facetune, aplicativo voltado para a edição de fotos de rosto. O mais caro da lista é o app da calculadora HP 12c, vendido por R$ 47,75. Os entrevistados citaram também apps de modelo freemium, como Spotify e o Sing! Karaokê”, diz Schepers. Vale lembrar que o campo de resposta era aberto, para a coleta de respostas espontâneas.

Games

A pesquisa também quis saber sobre os aplicativos de jogos. 66,5% dos entrevistados declaram que costumam jogar games móveis. Um fato chamou a atenção nessa categoria. Tradicionalmente, os games têm vida útil curta. Porém, o Candy Crush se destaca como exceção. Há quatro anos no mercado brasileiro, o jogo é o mais utilizado pelos brasileiros em seus smartphones. O segundo lugar é ocupado pelo Farm Heroes.

Entretenimento

No quesito entretenimento, chama a atenção o crescimento do Net?ix e do Spotify, respectivamente, serviços de vídeo e música sob demanda. O Net?ix é assinado agora por 59,8% das pessoas que declaram ter um serviço de entretenimento móvel pago. O Spotify, por sua vez, passou de 10,5% para 20,8%, podendo ser considerado como principal player no segmento de streaming de música no Brasil. Dois concorrentes diretos, Deezer e Play Music, também cresceram, o que indica um aumento do interesse do consumidor brasileiro por esse tipo de serviço. Será o fim do consumo de download de música?

Back-up e antivírus

Vem aumentando gradativamente o número de pessoas que declararam usar um serviço de back-up automático na nuvem para fotos, vídeos e contatos armazenados no celular. No caso dos antivírus, cerca de metade dos internautas brasileiros com smartphone têm um instalado em seu aparelho. A ordem no ranking dos antivírus móveis mais utilizados sofreu apenas duas alterações: o reaparecimento do Norton, na sétima posição, e a entrada do Du Antivírus, app de segurança da Baidu, na oitava colocação. A Avast continua na liderança, mas vem perdendo share. A brasileira PSafe Total manteve o terceiro lugar, mas vem crescendo e está quase roubando a segunda posição da AVG.




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS