Ela é carioca, ela é carioca

A Farm mostrou, em visita técnica do BR Week, a origem do “jeitinho dela” e como o ponto de venda reflete a essência carioca da marca

O que os congressistas que realizaram as visitas técnicas do BR Week puderam conferir é que a loja da Farm na Vila Madalena, em São Paulo, é um pedacinho do Rio de Janeiro no bairro mais badalado da capital paulista. Colorida, com jardins verticais espalhados por todo o espaço, madeira, rede, cadeiras de palha, a loja representa bem a essência da marca: ela é carioca. São três andares bem divididos: o primeiro traz sempre a coleção mais recente da marca de moda, o segundo é uma continuação da coleção recente e do bazar, onde as peças da coleção antiga são expostas no grande espaço do provador; e o terceiro andar traz a marca de moda infantil do grupo, a Fábula.

Hoje, a Farm é uma das marcas do Grupo Soma, formado por seis marcas: Farm, Fábula, Animale,Fyi e Foxton, a única marca de moda masculina, comprada pelo grupo. Os visitantes começaram a visita conhecendo a Fábula. “É uma marca infantil, feminina também e tem a proposta de ser uma marca lúdica, focada em criança, então as estampas são infantis. Não é roupa de mini-mulher, então é confortável”, explica Marília Cavalcante, gerente da loja. Apesar de estarem no mesmo espaço, a unidade da Fábula não se mistura com a da Farm, até a equipe é diferente.

No espaço, as roupas praticamente são parte da decoração: com estampas fortes, porém infantis, elas trazem um tom lúdico ao espaço, que tem decoração feita de tecidos, linhas e papelão. No segundo andar, o jardim vertical aparece no centro do espaço Farm. No mesmo andar, os provadores dividem espaço com o bazar. Na parede entre o primeiro e o segundo andar, há um jardim vertical irrigado automaticamente de três em três horas.

A loja é um reflexo do posicionamento da marca, que quer mais do que vender moda. “A gente se posiciona como um estilo de vida. A nossa consumidora lembra da Farm quando está fazendo coisas legais na vida, que curte esporte, tem contato com a natureza”, explica Thays Figueiredo, supervisora da marca em São Paulo. Não à toa a marca atinge um público bem heterogêneo, que vai das meninas de 20 e poucos anos a mulheres de 40 anos. “Nossa preocupação é se aproximar do cliente como sendo um amigo mesmo”, diz. Por meio do canal “Fala, Farm”, a marca se relaciona ainda mais com os clientes.
São duas grandes coleções no ano e a cada mês a marca lança uma minicoleção. E para cada uma, a loja muda de cara. “Tudo conversa com a história da coleção e vamos mudando tudo para o cliente entender a história que está sendo contada”, afirma Thays.

A Farm também não abre mão das parcerias. Já fez com a Havaianas, com a Oppa, de móveis, e até com a Disney, por meio do personagem Zé Carioca, o mascote de marca. A Adidas é a parceria mais recente e que levou as estampas da marca para 132 países – uma exposição que reforça os planos da marca de expandir internacionalmente, ainda neste ano, a começar pelos Estados Unidos. Hoje, somente a Farm tem 65 lojas espalhadas pelo País.






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS