A internet brasileira, segundo a Netflix

A Netflix realiza pesquisa de velocidade de internet no Brasil e em outros países ao redor do mundo. Aqui, há uma má notícia para o consumidor

whiteMocca/ Shutterstock

Uma das empresas que mais desafiam o setor de telecomunicações ao redor do mundo (e o Brasil não é diferente) é a Netflix. Entre outros motivos, as companhias alegam que o consumo de dados para o carregamento de vídeos em streaming gera um tráfego de internet alto. Com isso, há problemas na oferta de um serviço minimamente decente.

Polêmicas à parte, a Netflix decidiu medir a internet oferecida pelas teles. De acordo com a companhia, o índice de velocidade de conexão Netflix fornece a média de bits de conteúdo de “vídeo streamer” transferidos no horário nobre para assinantes durante um mês específico.

No horário nobre, a Netflix calcula a média de bits de conteúdo em megabits por segundo (Mbps) transmitidos pelos assinantes, segundo informações do provedor de Internet. A velocidade indicada no Índice de velocidade de conexão Netflix não é uma medição do desempenho máximo nem da capacidade máxima de um provedor de Internet.

E o resultado de tudo isso? No mês de maio deste ano, a internet (média de bits por segundo) mais rápida medida foi a Live Tim, com 3,11 Mbps. Isso, no entanto, não necessariamente é uma boa notícia. Houve uma queda na comparação com o mês de abril, que registrou 3,19 Mbps.

Logo em seguida à Live Tim aparecem, na ordem, Net Virtua (3.09 Mbps), GVT (2,92), Algar (2,27), Oi (1,92) e Vivo (1,88). Todas as empresas também apresentaram queda na comparação com o mês anterior. Veja comparativo entre os meses de maio e abril.

velocidade-internet-brasileira-netflix-maio

velocidade-internet-brasileira-netflix-abril

Neste link, é possível fazer uma pesquisa de velocidade no Brasil e em outros países. https://ispspeedindex.netflix.com/






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS