Lucro da Marisa despenca e rede fecha 2º tri no vermelho

A varejista já fechou 15 lojas neste ano e encerrou o trimestre com recuo de 9,2% no lucro líquido, em relação ao mesmo período do ano passado. Entenda

Após um primeiro trimestre estável, a varejista de moda feminina Marisa encerrou o segundo período no vermelho. A empresa verificou uma queda de 9,2% no lucro líquido, somando assim, um prejuízo de R$ 18,4 milhões.

“O segundo trimestre foi um período desafiador para o nosso público alvo. A confiança do consumidor continuou baixa e o fluxo de clientes inferior em relação ao ano passado. O ambiente macroeconômico permaneceu desfavorável e, por consequência, a retomada no crescimento de vendas neste trimestre não ocorreu na velocidade esperada pela Companhia”, afirmou a empresa.

De fato, apesar de a empresa ter conseguido registrar um crescimento de 1,8% na receita líquida do varejo, ela não segurou outras pontas do negócio, como o das despesas gerais e administrativos, que cresceram 25,4% e alcançaram R$ 40,7 milhões.

Segundo a empresa, o aumento nas despesas é decorrente do impacto da reoneração da folha de pagamento. Ao excluir este impacto, segundo a Marisa, tais despesas teriam crescido menos, 6,1%.

Mesmo esse crescimento das vendas não foi por aumento de demanda. Esse crescimento da receita líquida foi motivado, essencialmente, pela antecipação do liquidação da coleção de outono-inverno para junho, cujo impacto é estimado em R$ 48 milhões na receita bruta.

“A liquidação deste ano – executada em paralelo ao projeto de redução de estoques iniciado ainda em 2015 – acabou por impactar de forma mais agressiva nossa margem bruta, mas vem em linha com a estratégia geral desenhada, que prevê uma retomada gradual e sustentável de margem bruta, sempre priorizando a manutenção de estoques renovados e saudáveis”, afirmou a companhia.

As vendas das mesmas lojas – aquelas abertas há mais de 12 meses – foram 3,2% maiores. Esse crescimento, contudo, não foi decorrente de mais consumidores comprando, mas de preços maiores, em média de 8,3% – o que compensou a redução de 4,7% do volume. “A queda no volume é relacionada à redução no fluxo de clientes em lojas, verificado desde o segundo semestre de 2015. Já a evolução do preço médio ocorre em função de uma melhor gestão de estoques, combinado com ajustes pontuais no mix de produtos”, disse a empresa.

Apesar dos resultados, a empresa diz que segue com o plano de encerrar lojas ineficientes e fechou quatro operações. Por sua vez, inaugurou uma loja – o que dá um fechamento líquido de três lojas no trimestre. Ao todo, empresa já fechou 15 lojas neste ano, em comparação ano ano anterior. No primeiro semestre de 2015, a varejista somava 413 unidades. Agora, encerrou junho com 398 operações.

No semestre, a geração operacional de caixa somou R$ 33,2 milhões positivos.

“Acreditamos que por mais desafiador que o cenário macroeconômico se imponha, a Marisa vem gradativamente construindo as bases necessárias para retomada da eficiência operacional e do crescimento sustentável”, disse.






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS