5 atitudes que só prejudicam a sua carreira

Dizer sempre sim pode ser tão prejudicial quanto falta de proatividade. Saiba o que mais pode estar levando sua carreira para baixo

Por: - 3 anos atrás

Peter Bernik/ Shutterstock

Você quer crescer na carreira? É importante estar atento a algumas posturas profissionais. A psicóloga da consultoria de RH Lima Fávaro, Elisangela Lima, aponta abaixo cinco posturas que parecem inofensivas, mas são altamente prejudiciais para sua carreira.

1 – Só dizer sim – É fato que flexibilidade é uma característica muito bem vinda no ambiente corporativo, mas ser ilimitadamente flexível pode trazer mais perdas do que ganhos para sua vida profissional. Se disser ‘sim’ para tudo, vai acabar perdendo o foco, atrasando suas entregas e se sentindo totalmente sobrecarregado. “Melhor prestar atenção em sua necessidade de aceitação e reconhecimento ou até mesmo falta  de definição de foco e suas prioridades”, diz Elisangela.

2 – Trabalhar sem um objetivo maior – A necessidade de ganhar um salário para pagar as contas faz com que muita gente não saiba aonde quer chegar profissionalmente. “É preciso olhar o que é importante para você, eleger prioridades e montar um plano de desenvolvimento pessoal e profissional estipulando evidências de que você está evoluindo”, explica Elisângela. “Não adianta ter metas e não saber se você está ou não chegando lá.” E tem mais. Segundo a especialista, para ter uma carreira de sucesso e ser feliz, é preciso ter expectativas elevadas, estados emocionais positivos, evidências de que você esta atingindo seus objetivos. Nada de pensar pequeno, ok?

3 – Falta de proatividade – Quem não tem proatividade, muitas vezes fica estacionado no mesmíssimo lugar por anos e anos, esperando que qualquer coisa caia do céu. A dica para mudar essa postura é conhecer a sua base profissional e pessoal. “Você não é proativo porque é inseguro?, Em quais itens você ainda tem insegurança em sua rotina diária? O que você controla e o que não controla em sua vida?”, questiona ela. Depois de descobrir os motivos, a recomendação é tentar primeiro resolver a base para, em seguida, trabalhar a sua  proatividade através de um levantamento das metas de performance e as de aprendizado que pretende ter em sua vida pessoal e profissional.

4 – Não desenvolver seu autoconhecimento – Quando você não conhece bem suas emoções e seus gaps técnicos e comportamentais muitas vezes pode se deixar levar por emoções primárias, como raiva, inveja, angústia e frustrações. “Se esses sentimentos não forem percebidos rapidamente, podem virar uma bomba-relógio no trabalho ou em qualquer outro lugar”, explica a especialista. Outro ponto delicado da falta de autoconhecimento é não saber o que, de fato, é importante para você. “É preciso conhecer seus valores para saber o que gera e o que não gera motivação intrínseca em você.” Portanto se pergunte: Quais são seus valores Reais? Quais são seus valores ideais? A formula da motivação segundo a especialista é a vivência de seus valores reais e a perspectiva de vivenciar os valores ideais.

5 – Introversão ou extroversão em excesso – O caminho, segundo a especialista, é o “rio do meio”. Elisangela explica que a tendência das pessoas introvertidas é a de buscar a verdade dentro delas, por serem pessoas muito analíticas tentem a acreditar que as respostas estão dentro delas. “Elas cometem um erro ao deixar de aproveitar o potencial das pessoas que estão do lado para resolver tudo sozinhas.” Os excessivamente extrovertidos, por outro lado, normalmente têm tanta necessidade de aceitação que acabam querendo chamar a atenção do grupo a qualquer custo e ai cometem alguns exageros em seu perfil de extroversão como: impulsividade, prolixidade entre outros. A dica é clara: nem tanto para um lado, nem tanto para o outro, aceite a essência de seu perfil e buscar um frequente feedback de pessoas próximas e amigas ajuda muito neste equilíbrio. E na sua carreira.