Entenda o comportamento do consumidor Millennial

Pesquisa realizada pela Mindminers mapeia o comportamento dos jovens principalmente com relação às suas convicções sobre a sociedade

Cada geração se desenvolveu em um contexto diferente da sociedade. Por isso, é tão importante atualizar os estudos sobre gerações, aponta Renato Alves Chu, Cofundador da Mindminers, empresa de pesquisas de mercado que atua de forma totalmente digital, o que facilita todo o processo.

 

Há cerca de um ano, a organização vem trabalhando para estudar mais sobre os Millennials, a geração entre 17 e 30 anos (dependendo da definição de quem usa) que está tão em pauta nos últimos tempos. “Há 10 anos, essas pessoas tinham entre 10 e 20 anos, estavam em crescimento, formando opiniões. Hoje, eles buscam independência financeira, estão saindo da faculdade e querendo trabalhar”, explica Chu.

 

Em 2020, essa geração vai ser o maior estrato populacional dos Estados Unidos – tendência que deve se aplicar ao Brasil em 2025, aproximadamente. Dessa forma, são essas pessoas que determinam as tendências de consumo do futuro, são eles que chegarão aos cargos de liderança das empresas, formatando-as da forma que preferem.

 

O estudo da Mindminers procurou mapear dois grandes temas: a opinião dessa geração sobre os movimentos sociais e tendências atuais, bem como sua percepção sobre sua atuação no trabalho. Foram contabilizadas 1330 respostas durante cinco dias, no mês de junho de 2016, com porcentagens de sexo, idade e classe social equilibradas de forma a montar um retrato da sociedade brasileira.

 

Visão de mundo

Ao serem questionados sobre a percepção sobre o fato de cada vez mais crianças serem criados por pais e mães solteiros, a maioria dos respondentes da pesquisa apontou que essa é uma tendência. Com relação ao aumento de casais gays cuidando de crianças, essa geração aponta uma tendência positiva.

 

Chu explica que as bandeiras de igualdade e inclusão social são parte muito importante da formação dessas pessoas: “Não significa que existe uma mudança do que é uma unidade familiar, mas significa que durante o crescimento dessa geração, ela foi colocada muito mais na discussão de relações igualitárias”.

 

Outra tendência mapeada é que cada vez mais essas pessoas estão se desvinculando de qualquer religião – e percebem isso como algo positivo (44%). A maioria desses jovens também não se descreve como patriota.

 

Entre os respondentes, 25% se consideram liberais economicamente, a maioria fica para os conservadores. Para o Brasil, essa geração acredita que os melhores dias ainda estão por vir (57%).

 

Consumo

Para a maioria dos jovens, é um incômodo se sentir pressionado pela presença de vendedores abordando-os nas lojas (57%). Antes de comprar qualquer produto, 59% dos entrevistados realiza buscas pelo celular.

 

O smartphone para essas pessoas é tão importante quanto um plano de saúde (74%) e, entre as prioridades, o dispositivo perde apenas para a casa própria.

 

Mercado de trabalho

O estudo aponta que a maioria dos jovens está satisfeito com seu trabalho atual (43%). Mesmo assim, eles esperam trocar de emprego em até dois anos (33%) ou cinco anos (61%). A cultura das empresas é fundamental para que essa geração queira ficar na organização por mais tempo.

 

Para manter um Millennials satisfeito em seu emprego, três fatores são determinantes: incentivo a ideias e melhorias, independente de seu cargo; compromisso da empresa com igualdade e inclusão social; senso se propósito além do sucesso financeiro. Para eles, os principais negativos são: pouco tempo para aprendizado, desempenho financeiro acima de tudo, horários e performance muito monitorados.

 

O salário (65%), as oportunidades em sua carreira (38%) e as oportunidades para crescer (32%) são os drivers analisados para o jovem dessa geração escolher um emprego.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS
Publicidade sidebar

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS