Loja virtual, o “home-office” do comerciante

Empreendedores com vendas pela internet têm maior flexibilidade e se sentem mais felizes, diz estudo. Veja o que mais eles disseram

Por: - 3 anos atrás

Jason Howie/Flickr

O e-commerce não é só uma mão na roda para quem não tempo ou paciência de se deslocar até uma loja a cada coisa que precise. Com preços baixos e comodidade, a possibilidade de abrir um comércio pela internet também melhora a vida do lojista.

Um estudo feito pela plataforma de comércio eletrônico Loja Integrada , que entrevistou 1.056 donos de lojas cibernéticas em todo o Brasil, mostrou que 68% dos entrevistados se sentiam mais felizes desde que começaram a empreender online. As entrevistas foram feitas em março deste ano.

Para 44% deles, o ganho de liberdade que a falta de vínculo físico dá é uma das principais razões pela sensação de melhora na qualidade de vida. Autoestima e disponibilidade de tempo foram outros termos citados por eles.

Para se ter uma ideia, quase a metade destes empreendedores (45,7%) dedica menos de 3 horas por dia à administração de seu site e das vendas, e 57% deles conciliam o negócio com outro emprego. Para 26% o e-commerce é o único trabalho. Apenas 17% dos entrevistados possuem também a atividade em loja física.

Os que dedicam de 3 a 5 horas de trabalho ao site somam 22,8%, e os que chegam a 8 horas de jornada são a minoria: 12% precisam de 5 a 8 horas diárias para manter o negócio andando.

Outra grande vantagem do comércio eletrônico é que é barato. A pesquisa aponta que 70% destes comerciantes começaram o empreendimento com um investimento de R$ 1 mil. O baixo valor talvez seja o que permitiu viabilizar o sonho de muitos: o desejo de ter o próprio negócio foi a razão que levou 46% dessas pessoas a projetarem uma loja online.

Para 35,2% delas, foi a necessidade de ganhar mais dinheiro que falou mais alto, enquanto 29% abriram seu canal de vendas porque identificaram um nicho de mercado com potencial para explorar.